13 de junho de 2021
Mais
    Capa Notícias Manchete Vale do São Lourenço fecha acesso às cachoeiras e reforça fiscalização
    QUATRO MUNICÍPIOS

    Vale do São Lourenço fecha acesso às cachoeiras e reforça fiscalização

    Em ação inédita, prefeitos das quatro cidades do Vale do São Lourenço decidiram interditar cachoeiras e publicaram decreto conjunto com restrições para barrar avanço da Covid-19

    Imagem: reuniao prefeitos Vale do São Lourenço fecha acesso às cachoeiras e reforça fiscalização
    Decreto conjunto foi editado após reunião de gestores e órgãos de fiscalização – Foto: Assessoria

    Para evitar aglomerações e o risco do aumento de contágios pelo coronavírus os prefeitos de Dom Aquino, Jaciara, Juscimeira e São Pedro da Cipa decidiram unificar as regras de restrições. Entre as medidas está a interdição do aceso a todas as cachoeiras do Vale do São Lourenço.

    As restrições estão em vigor desde ontem (02) e foram divulgadas após uma reunião entre os prefeitos e órgãos de fiscalização, como a Polícia Militar. Eles decidiram unir forças temendo o aumento de fluxo de visitantes por causa do feriado prolongado de Corpus Christi.

    Entre os pontos turísticos interditados estão as cachoeiras Mulata, em Jaciara, e do Prata, em Juscimeira – campeãs em visitas na região.

    A iniciativa de buscar a unidade de ações partiu da prefeita de Jaciara, Andréia Wagner (PSB). “Nós pertencemos a uma região turística, recebemos público dos quatro cantos do estado e até de outros estados. E, pensando na saúde e bem estar da população decidimos adotar alguns limites”.

    Imagem: cachoeira mulata Vale do São Lourenço fecha acesso às cachoeiras e reforça fiscalização
    Cachoeira da Mulata, em Jaciara, está entre os pontos turísticos interditados até o fim do mês – Foto: Reprodução

    “Embora a vacinação esteja ocorrendo, tememos que ocorram aglomerações em massa. Hoje, Mato Grosso está com  95% dos leitos de UTI ocupados, até ontem tínhamos apenas 26 vagas disponíveis para atender os 141 municípios mato-grossenses”, disse Andréia Wagner destacando a necessidade da prevenção.

    Além de interditar o acesso a todas cachoeiras, os prefeitos ainda proibiram som ao vivo, em bares, restaurantes, lanchonetes e congêneres. As atividades comerciais deverão funcionar até às 22 horas, o sistema de delivery deverá funcionar até às 23:59  e haverá toque de recolher à partir das 23 horas.

    PRAZO

    As medidas continuarão em vigência até o dia 30 de junho, podendo ser prorrogadas caso haja aumento significativo de contágio do coronavírus, na região.

    O prefeito de Juscimeira, Moisés do Santos (DEM), disse que um dos motivos que o levou a se ao grupo foi o fato de Rondonópolis não possuir mais vagas para pessoas acometidas pelo vírus.

    “Nós somos pactuados com Rondonópolis que já nos informou que não tem mais vagas em  UTIs.  Fizemos um decreto único para ficar mais junto às cidades do Vale e para que não tenha descompasso  entre os municípios. Para se ter uma ideia, só a Cachoeira do Prata recebe cerca de 3 mil visitantes nos finais de semana”, disse o democrata.

    Imagem: cachoeira doprata Vale do São Lourenço fecha acesso às cachoeiras e reforça fiscalização
    Cachoeira do Prata, em Juscimeira, chega a receber três mil visitantes nos finais de semana – Foto: Reprodução

    Já o vice-prefeito de São Pedro da Cipa, Paulo César Moreira de Souza, o Cezinha, destacou a importância da união do vale neste momento em que ele considera crítico. “Assim fica mais fácil a gente cuidar do nosso município, fica mais fácil também para a Polícia Militar realizar seu trabalho de fiscalização. O decreto em conjunto é importante para que a gente consiga baixar o número de casos. Quem mora no vale, visita os municípios vizinhos e é aí que vem o perigo”, alertou.

    FISCALIZAÇÃO
    Os prefeitos do Vale do São Lourenço também decidiram que vão intensificar a fiscalização neste período. O monitoramento dos protocolos sanitários será feito pela Polícia Militar em parceria com o Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária e Conselho Tutelar.

    A multa estabelecidas pelo Estado aos “desobedientes”. ´pode chegar a R$ 500 no caso de pessoas físicas e até 30 mil aos estabelecimentos comerciais. Em casos de reincidência o valor é triplicado.

    “Essa unificação dos decretos facilita o nosso trabalho porque a gente passa a falar a mesma língua, dentro das quatro cidades. O decreto nos ajuda muito. Independente dos agentes das prefeituras também atuarem na fiscalização, nós temos a autonomia, que nos permite aplicar multas em casos em que os protocolos sanitários não são cumpridos. O estabelecimento que a PM flagrar descumprindo às legislações, serão notificados e multados e essa regra vale às pessoas físicas também”, destacou a segunda tenente PMMT, Ana Alice Soares dos Santos, que na reunião representou o comandante da 7ª Companhia Independente da PM, tenente-coronel Handson Freitas Farias.