31 de julho de 2021
Mais
    Capa Destaques Polícia recebe denúncia de ‘festinha’ e é xingada durante abordagem
    DESRESPEITO AO DECRETO

    Polícia recebe denúncia de ‘festinha’ e é xingada durante abordagem

    Com a chegada do reforço policial, eles consentiram com a entrada

    Imagem: Polícia recebe denúncia de ‘festinha’ e é xingada durante abordagem
    1ª Delegacia de Polícia de Rondonópolis – Foto: Vandréia de Paula

    Mais uma ‘festinha clandestina’ foi encerrada na madrugada deste domingo (13) por policiais em Rondonópolis. Os militares foram acionados através do 190 com denúncias de perturbação do sossego e desobediência ao decreto municipal que proíbe a realização de festas.

    Ao chegarem no local, primeiramente os policiais foram impedidos de entrar pelos proprietários da casa que estavam, segundo a polícia, em visível estado de embriaguez. Com a chegada do reforço policial, eles consentiram com a entrada.

    Consta no Boletim de Ocorrências que havia seis pessoas no local, aglomeradas e sem uso de máscara ou distanciamento.

    Os policiais comunicaram que todos deveriam ser levados à delegacia, porém o dono da casa se alterou e começou a xingar os policiais afirmando que era advogado e que ninguém seria levado.

    Ele tentou então fechar a porta da casa e empurrar os policiais, mas foi contido e imobilizado. Dentro da viatura, ele continuou a chutar e acabou amassando o veículo.

    Um cachorro da raça rottweiler foi solto para tentar intimidar os policiais. A proprietária da casa também resistiu a condução e xingou os policiais várias vezes.

    O demais presentes foram levados à Delegacia sem oferecer resistência.

    A cidade está classificada como nível de Risco ALTO:

    a) implementação e/ou manutenção de todas as medidas previstas para os Níveis de Risco BAIXO e MODERADO;

    b) proibição de qualquer atividade de lazer ou evento que cause aglomeração;

    c) proibição de atendimento presencial em órgãos públicos e concessionárias de serviços públicos, devendo ser disponibilizado canais de atendimento ao público não presencial;

    d) adoção de medidas preparatórias para a quarentena obrigatória, iniciando com incentivo à quarentena voluntária e outras medidas julgadas adequadas pela autoridade municipal para evitar a circulação e aglomeração de pessoas.