18 de junho de 2021
Mais
    Capa Cidades Rondonópolis "Ser chamado de herói não adianta", manifesta enfermeiros cobrando piso salarial
    LUTA

    “Ser chamado de herói não adianta”, manifesta enfermeiros cobrando piso salarial

    'O salário é de R$ 1.300 e inclusive na carteira da maioria dos profissionais aqui é R$ 1.282'

    Imagem: maifesto enfermagem "Ser chamado de herói não adianta", manifesta enfermeiros cobrando piso salarial
    Manifestação enfermeiros – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

    “Ser chamado de herói não adianta”, essa era uma das frases exposta em um cartaz durante a manifestação dos profissionais de enfermagem na manhã desta quarta-feira (02), em Rondonópolis (MT). Os trabalhadores pedem apoio da população para a aprovação do Projeto de Lei 2564/2020, que institui o piso salarial para a categoria conforme carga horária. Os profissionais se encontraram na Praça dos Carreiros e saíram em caminhada pelo Centro da cidade até a Praça Brasil.

    Imagem: 3994dcce be16 4601 8800 bd18c30a962d "Ser chamado de herói não adianta", manifesta enfermeiros cobrando piso salarial
    Profissionais com cartazes – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

    A manifestação aconteceu de forma pacífica, cumprindo os protocolos de segurança com obrigatoriedade do uso de máscaras.

    Imagem: a3a46b78 f5f6 48e0 bc01 856cf0ed9d01 "Ser chamado de herói não adianta", manifesta enfermeiros cobrando piso salarial
    Profissionais cobram por salário digno – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

    O projeto de lei 2564/2020 tramita atualmente no Senado Federal. A proposição estabelece piso salarial de R$ 7.315,00 para os enfermeiros, para uma jornada de 30 horas semanais, devendo observar a correspondência proporcional, quando as jornadas forem superiores ao patamar fixado na proposição.

    Imagem: enfermeiro "Ser chamado de herói não adianta", manifesta enfermeiros cobrando piso salarial
    Técnico de enfermagem, Wemerson Gutemberg – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

    O técnico de enfermagem, Wemerson Gutemberg Aguiar Costa, explica que a realidade está bem longe do que é mostrado no Projeto.

    Imagem: 116dd015 08f2 4da3 982f 607565dc6b04 "Ser chamado de herói não adianta", manifesta enfermeiros cobrando piso salarial
    Profissional mostra valor do atual salário -Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

    “Muito triste ter que trabalhar em dois ou três serviços. Muitas vezes passar 48 horas fora de casa, dos filhos e do lar. O salário é de R$ 1.300 e inclusive na carteira da maioria dos profissionais aqui é R$ 1.282” desabafa o trabalhador.

    Imagem: enfermeira "Ser chamado de herói não adianta", manifesta enfermeiros cobrando piso salarial
    Cintia Ribeiro, representante do Conselho Regional de Enfermagem – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

    A representante do Conselho Regional de Enfermagem do Estado de Mato Grosso, Cintia Ribeiro, relata que atualmente o profissional precisa trabalhar em vários locais se expondo mais vezes ao risco e ao erro.

    “Ele tem uma carga mental muito grande e isso prejudica tanto a saúde do profissional quanto a assistência por ele prestada. Então se ele tiver um piso salarial digno, uma carga horária digna, a população estará melhor assistida. O salário é vergonhoso, a palavra é essa, é vergonhoso, porque é uma profissão que lida com vida e que precisa de muita atenção e muito estudo, então ele se dedica a isso e é tão mal reconhecido e tão mal remunerado” relata Cintia.

    Ainda conforme a representante do Conselho, cinco profissionais que estavam trabalhando na linha de frente da Covid-19 perderam a vida.

    “Nós perdemos cinco colegas por estarem trabalhando na linha de frete. Então é muito
    triste, por isso nós estamos hoje aqui dando a cara para poder pedir apoio da comunidade. Gente entre no site do Senado e votem a favor da PL 2564. A gente precisa do apoio da comunidade” finaliza Cintia Ribeiro.