03 de agosto de 2021
Mais
    Capa Variedades Veja 10 séries da Netflix que são mais viciantes que café
    PRONTOS PARA MARATONAR?

    Veja 10 séries da Netflix que são mais viciantes que café

    Os títulos estão organizados de acordo com o ano de lançamento e não seguem critérios classificatórios

    Acompanhar uma série é praticamente um compromisso. Exige dedicação e tempo. Uma vez que você a deixa entrar na sua televisão, ela pode penetrar na sua vida e se apossar de tudo: dos seus pensamentos, da decoração da sua casa, das suas conversas na mesa do bar.

    Quando se dá conta, está pensando no que poderá acontecer no próximo episódio no meio da madrugada e cantarolando a música de abertura durante o banho. Nessa lista, a Revista Bula separou séries novas da Netflix que estão prontas para se comprometer com você e vice-versa.

    Aqui estão incluídas as viciantes “Sweet Tooth”, “O Gambito da Rainha”, “Cobra Kai”, dentre outras. Os títulos estão organizados de acordo com o ano de lançamento e não seguem critérios classificatórios.

    Ginny e Georgia (2021), Sarah Lampert

    Georgia é uma mãe na casa dos 30, que teve a filha Ginny quando ainda era adolescente. Hoje, a moça já tem 15 anos, é séria e centrada, enquanto sua mãe é extrovertida e charmosa. Georgia teve uma vida difícil durante a infância e adolescência, e se muda para Nova Inglaterra, onde tentará reconstruir seu lar e dar aos filhos a estabilidade que nunca teve. Contudo, o passado irá retornar para ameaçar o projeto de normalidade para sua família.

    Lupin (2021), George Kay

    O pai de Assane Diop era um imigrante senegalês na França que, após ser acusado de roubar seu patrão, se enforca em sua cela de vergonha. Vinte e cinco anos mais tarde, Assane se tornou um ladrão de elite, disposto a usar de suas habilidades para o roubo e seu carisma para se vingar de Hubert, o ex- patrão de seu pai.

    Sombra e Ossos (2021), Eric Heisserer

    Alina Starkov é uma cartógrafa que leva uma vida normal até que descobre ser Grisha, uma espécie de ser mágico que possui poderes sobre elementos da natureza. Ela é separada para ser treinada junto a um exército de elite com aptidões fantásticas. A tropa está sendo preparada para lutar contra o iminente avanço da Dobra das Sombras, uma faixa de escuridão que transforma o reino em sombra e ossos.

    Sweet Tooth (2021), Jim Mickle e Beth Schwartz

    Imagem: Sweet toth Veja 10 séries da Netflix que são mais viciantes que café
    Série Sweet Tooth – Foto: Divulgação

    Um vírus chamado Flagelo dizimou grande parte da humanidade e, por alguma razão, fez com que todos os novos bebês nascessem como híbridos, metade humano e metade animal. Com medo do que essas criaturas sejam ou possam causar, os humanos as perseguem e matam. Gus, um menino-cervo, foi protegido e criado em segredo por seu pai no Parque Nacional de Yosemite. Após a morte do pai, os caminhos do menino se cruzam com o do ex-astro do futebol Tommy Jepperd, que se torna seu grande amigo e protetor. Juntos eles partem em uma jornada para tentar encontrar a mãe de Gus.

    Emily em Paris (2020), Darren Star

    Emily Cooper é uma jovem publicitária em uma grande companhia americana. Quando sua chefe engravida, ela terá de substituí-la em uma transferência para uma agência em Paris. Animada para o novo desafio, Emily se depara com a resistência dos novos colegas de trabalho em aceitar suas ideias, sofre com o choque cultural e se vê diante de obstáculos maiores que havia imaginado.

    O Gambito da Rainha (2020), Scott Frank e Allan Scott

    Beth Harmon é uma órfã com inteligência acima da média e que um dia descobre que o zelador do orfanato em que vive joga xadrez no porão. Interessada, a menina pede para que o homem a ensine a jogar. Anos mais tarde, Beth se torna especialista em xadrez. Ao ser adotada por um casal, a liberdade fora do orfanato lhe dará oportunidade de mostrar suas habilidades com o tabuleiro em torneios nacionais e internacionais.

    Sex Education (2019), Laurie Nunn

    Ottis Milburn é um estudante do ensino médio que teme que seus colegas de escola descubram que sua mãe é uma terapeuta sexual. Tímido e inseguro, Ottis é o oposto de seu melhor amigo, Eric, um adolescente extravagante e extrovertido, apesar de sofrer bullying do valentão do colégio por ser gay. Quando os alunos descobrem a profissão da mãe de Ottis, Maeve, a rebelde da escola, o convence de se tornar aconselhador sexual entre os adolescentes por meio terapias clandestinas agenciadas por ela.

    Cobra Kai (2018), Jon Hurwitz e Josh Heald

    Se passaram 30 anos desde o confronto no All Valley Karate Tournament e Johnny Lawrence, um dos lutadores, se tornou um desempregado que vive de bicos e se sente frustrado por ter desperdiçado sua vida. Quando Johnny resgata o jovem Miguel de valentões, ele se sente inspirado a reiniciar o notório dojo Cobra Kai. No entanto, quando seu antigo rival, Daniel LaRousso, fica sabendo, também decide abrir seu próprio dojo, reascendendo a antiga competição entre eles.

    Pose (2018), Ryan Murphy e Brad Falchuk

    Ambientada no final dos anos 1980, “Pose” é um musical que narra a história de Blanca, uma mulher trans que descobre ser HIV positivo. Ela decide transformar a residência onde mora na chamada Casa Evangelista, um local que abriga jovens LGBTQIA+ que não têm onde morar. Lá a comunidade também organiza concursos e bailes, durante o período de ascensão da cultura de luxo em Nova York.

    The End of the F***ing World (2017), Jonathan Entwistle e Lucy Tcherniak

    James é um adolescente de 17 anos que acredita ser um psicopata. Ele conta que quando criança, chegou a mergulhar a mão em óleo quente para saber se sentiria algo. No ensino médio, conhece Alyssa, uma jovem estranha e verborrágica, que insiste em formar um casal com ele. Eles decidem roubar um carro e embarcar em uma viagem para procurar o pai de Alyssa, que a abandonou quando criança. No meio da jornada, acontecimentos inesperados transformam a viagem em uma aventura muito mais perigosa que o previsto.