02 de agosto de 2021
Mais
    Capa Notícias Mato Grosso Acadêmicos e indígenas lamentam falecimento de ex-secretário de Educação
    JOÃO GRAEFF

    Acadêmicos e indígenas lamentam falecimento de ex-secretário de Educação

    Educador faleceu no sábado (03), vítima de câncer; amigos, ex-alunos e lideranças indígenas usaram redes sociais para destacar legado deixado por João Graeff

    Imagem: JOao graeff Acadêmicos e indígenas lamentam falecimento de ex-secretário de Educação
    João Graeff foi secretário de Educação na gestão do ex-prefeito Alberto de Carvalho e atuou durante muitos anos no campus da UFMT – Foto: Reprodução

    A morte do ex-secretário de Educação de Rondonópolis, João Graeff, causou comoção no meio acadêmico e também entre as lideranças indígenas da região. O educador faleceu no sábado (03), após anos de luta contra um câncer.

    Ele foi diagnosticado com câncer de próstata em 2005 e conseguiu bons resultados nos primeiros tratamentos. Recuperou-se, mas recentemente descobriu uma metástase nos ossos. Na última quinta-feira (30) a situação se agravou. Ele voltou a ser internado, mas desta vez não resistiu.

    João Graeff foi professor por muitos anos na escola La-Salle, em Rondonópolis, e teve uma participação destacada no processo de implantação e consolidação do campus da UFMT. Também atuou na luta pela criação da Universidade Federal de Rondonópolis (UFR) e liderou várias ações do Departamento de Educação, inclusive visando a qualificação dos professores da rede municipal.

    Ele assumiu a secretaria de Educação do município no final da década de 90 e, em 1997, foi responsável pela construção do prédio de alvenaria da Escola Municipal Indígena Leosídio Fermal, na reserva Tadarimana.

    Imagem: Graeff paulo Isaac Acadêmicos e indígenas lamentam falecimento de ex-secretário de Educação
    O antropólogo Paulo Isaac (direita) destacou atuação de João Graeff na promoção do ensino indígena – Foto: Reprodução

    “Em sua gestão frente à Secretaria Municipal de Educação, teve a coragem de contratar os dois primeiros professores indígenas sem certificados do Estado de Mato Grosso. (Graeff) Combateu o bom combate, cumpriu a carreira e guardou a fé. Sua humildade, lealdade e amizade ficam em nossas lembranças”, disse o antropólogo Paulo Isaac, um dos muitos amigos cultivados na UFMT.

    O Departamento de Educação da UFR também emitiu uma nota registrando o pesar dos educadores e toda a equipe. “O professor João Graeff esteve ao nosso lado desde o ano de 1985. Foi amigo querido e colega generoso. Foi abraço, afeto, ouvidos, coração, serenidade e orientação para muitos de nós. Seu nome marcou a história da educação de nossa cidade. Vai nos fazer muita falta”.

    BOROROS
    O cacique da aldeia Tadarimana, Marcelo Koguiepa, também destacou a importância do trabalho de João Graeff para a comunidade Bóe Bororo. Ele disse que o falecimento causou muita tristeza e destacou o empenho do educador na promoção da educação indígena.

    “Ele deu os primeiros incentivos de uma política na escolarização de nossas crianças indígenas e na contratação de professores indígenas como protagonista de uma escola diferenciada e específica. Em nome da minha comunidade, agradeço o legado deixado por ele em nossa comunidade Bóe Bororo”, declarou Koguiepa.