03 de agosto de 2021
Mais
    Capa Variedades Aromaterapia | Quando o “cheiro” é importante para nós
    ARTIGO

    Aromaterapia | Quando o “cheiro” é importante para nós

    Ana Paula Gonçalves é Comunicadora desde os 14 anos de idade, dedicou 25 anos de sua vida profissional ao jornalismo, por gostar de conhecer histórias e a vida das pessoas. Hoje se dedica na busca da espiritualidade e da qualidade de vida

    Imagem: ana paula goncalves Aromaterapia | Quando o “cheiro” é importante para nós
    Ana Paula Gonçalves – Foto: Arquivo Pessoal

    Você já deve ter percebido que o cheiro, ou o sentido do olfato tem o poder de mexer com os nossos pensamentos, emoções, imaginação, sensações.

    Um exemplo claro para mim disso é quando eu sinto cheiro de lenha queimando no fogão caipira, me remete ao passado, na casa de minha bisavó, num sítio no interior de SP, quando ela deixava as brasas acesas com as panelas sobre o fogão, para manter a comida quentinha por mais tempo. Ah, que sensação boa!

    Também já senti o perfume marcante de uma pessoa e toda vez que sinto aquele cheiro, logo vem ela na minha memória. O fato é que o cheiro das coisas também é capaz de carregar consigo uma vibração e isso sim, nos afeta diretamente.

    É interessante observar como os aromas agem sob o cérebro humano, comandando emoções a partir do olfato.

    O olfato está diretamente relacionado com as áreas do subconsciente. O estudo da olfação, chamamos de osmologia.

    Fisicamente, poucos centímetros separam o cérebro do nariz humano, mas fisiologicamente, a conexão é direta e as respostas imediatas, mesmo a mensagem do cheiro não passando pela medula espinhal, como a maioria das mensagens do corpo.

    Dá-se o nome de anosmia a perda da capacidade olfativa.

    E para onde vai a informação gerada pelo aroma ou fragrância que sentimos?

    Uma vez inalado, a informação é levada através de impulsos para o sistema límbico, estruturas neurais que são associadas com os comportamentos e a memória emocionais.

    Com base nesta informação, vamos falar da principal terapia que utiliza o olfato para equilibrar corpo, mente e espírito.

    Aromaterapia: odor agradável + tratamento

    Também conhecida como Terapia com Óleo Essencial, engloba a aplicação holística de óleos com aromas naturais e específicos para apoiar a saúde e o bem estar de um indivíduo.

    Embora as plantas aromáticas sejam utilizadas pelos seres humanos há milhares de anos, a aromaterapia como a conhecemos atualmente é recente. A aromaterapia se tornou muito dinâmica e pode ser utilizada de diferentes formas nos dias de hoje, em produtos de limpeza, produtos cosméticos e inaladores de ambientes. Além de produtos medicinais, podendo ser combinada com vários tipos de tratamentos, convencionais ou alternativos. É uma terapia que busca integrar vários aspectos do ser humano, utilizando algo que a própria natureza oferece.

    Imagem: oleos essenciais 1 Aromaterapia | Quando o “cheiro” é importante para nós

    E qual a indicação da aromaterapia?

    É indicada para vários tipos de problemas, desde dores musculares, dores de cabeça, má digestão, ansiedade, indisposição, massagens, distúrbios do sono, falta de ânimo, entre outros. Qualquer pessoa pode fazer uso de óleos essenciais, inclusive crianças, para cada indicação existem combinações de óleos que vão trabalhar esses benefícios.

    Por ser retirado diretamente das plantas, um óleo essencial puro e de boa qualidade tem propriedades farmacológicas como antibióticos, antisépticos, antivirais, antifúngicos, etc. Ele penetra nosso corpo através do olfato e da pele, atingindo a corrente sanguínea.

    A EXTRAÇÃO DO ÓLEO ESSENCIAL

    As plantas como outras coisas vivas precisam se proteger de vários tipos de predadores, combinações complexas são liberadas por essas plantas e árvores para atrair ou repelir determinados predadores e garantir assim a sua sobrevivência. É desse mecanismo de sobrevivência natural que são extraídos os óleos essenciais que conhecemos.

    Se você considerar o porque as plantas aromáticas criam óleos essenciais é possível perceber que utilizamos esses óleos pelas mesmas razões. Usamos os aromas para atrair, repelir, nos defendermos contra micróbios e aumentar a imunidade. Isso revela a relação simbiótica que os humanos têm com as plantas.

    Imagem: 1 aromaterapia Aromaterapia | Quando o “cheiro” é importante para nós

    OS CHEIROS TÊM IMPACTO DIRETO SOBRE AQUILO QUE SENTIMOS

    Pesquisas recentes trazem cada vez mais essa conclusão. Acredita-se que vários aromas dos óleos essenciais, ativam os transceptores neuroquímicos do cérebro como a serotonina e as endorfinas, que fazem a comunicação do cérebro com demais partes do corpo humano.

    Por exemplo, o aroma de um óleo calmante, provocaria a liberação de serotonina, enquanto um óleo estimulante induziria à liberação de noradrenalina. Sobre os feitos nas ondas cerebrais, um ritmo exibindo calma foi produzido quando um óleo conhecido pelo efeito sedativo foi inalado e um aroma estimulante, provocou estado de alerta.

    Um exemplo de óleo relaxante é o aroma de lavanda, sabe-se hoje que esse aroma, estimula as ondas alfa na região de trás da cabeça.

    Os óleos essenciais tem quatro frentes de ação no organismo:

    pela inalação (vias respiratórias/sistema límbico)

    pela absorção (pele/correntes sanguínea e linfática/diluído em produtos específicos)

    pele aplicação tópica (pele/superfície local/diluído em óleo carreador)

    pele ingestão oral (uso interno – atenção a qualidade do óleo, nem todos devem ser ingeridos)

    DICAS DE ÓLEOS ESSENCIAIS E A FUNÇÃO DE SEUS AROMAS

    São inúmeros os óleos disponíveis no mercado e para as mais variadas utilizações, vou dar alguns exemplos de óleos essenciais acessíveis e de fácil utilização pela inalação.

    Talvez o mais conhecido e já citado aqui neste artigo seja o óleo de lavanda. Seu aroma inconfundível proporciona inúmeros benefícios. Chamado de “óleo da comunicação”, a inalação de uma a duas gotas de lavanda, colocadas na palma das mãos, pode acalmar e relaxar, podendo também ser utilizada em banhos e escalda pés.

    Acalma irritações na pele quando diluída em óleo vegetal, reduz ansiedade, melhora o sono, acalma medos e ajuda na vitalidade e autoconfiança.

    Adicione algumas gotinhas de lavanda no travesseiro, roupas de cama, ou plantas dos pés na hora de dormir. O efeito é maravilhoso! lembrando que em se tratando de óleos essenciais de boa qualidade, mais é menos, sempre!

    O óleo de limão siciliano, também é um dos mais acessíveis. Ele é chamado de “óleo do foco”.

    Ele tem a função de energizar e pode melhorar a fadiga mental. Promove sentimentos de alegria. Trabalha distúrbios de aprendizagem, culpa. No físico, promove limpeza e purificação do ar e de superfícies. Maravilhoso como desengordurante, ajuda também no desconforto respiratório.

    O cuidado do limão é no uso na pele, lembre-se que limão e sol não combinam.

    Hortelã-pimenta, o “óleo do coração exultante”. Esse óleo tem alta concentração de mentol e pode promover ânimo. Também ajuda aliviar o mal estar do estômago e promove a função respiratória saudável. Pode ajudar a dar um ‘break’ emocional e aliviar sintomas da depressão. Seu cheiro repele insetos, e ajuda a aliviar espasmos musculares, quando diluídos em óleos carreadores ou cremes.

    Uma dica valiosa para um aproveitamento ainda mais eficiente desses aromas é a utilização de um difusor próprio para óleos essenciais.

    Bom, essas são algumas dicas de cheiros que fazem bem ao corpo, à mente e ao espírito e que podemos inserir no nosso dia-a-dia para uma vida mais equilibrada e saudável.

    E se você gosta do assunto e quer se aprofundar mais, já existem aplicativos para celulares que nos trazem uma enorme variedade de óleos e suas funções. Um deles e que gosto muito de utilizar é o Essential Life.

    Espero que você tenha gostado das informações deste artigo e até a próxima!