30 de julho de 2021
Mais
    Capa Cidades Cuiabá Mendes “acata” veto, mas diz: “deputados prejudicam Educação”
    AULAS X VACINAÇÃO

    Mendes “acata” veto, mas diz: “deputados prejudicam Educação”

    Governador disse que não acionará à Justiça, mas vê incoerência de parlamentares

    Imagem: MauroMendes scaled Mendes “acata” veto, mas diz: “deputados prejudicam Educação”
    O governador Mauro Mendes, que criticou posicionamento da AL – Foto: Assessoria

    O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que irá “acatar” a decisão da Assembleia Legislativa, que condicionou o retorno às aulas nas escolas públicas de Mato Grosso à vacinação dos profissionais da Educação.

    De todo modo, afirmou que a atitude dos deputados trará prejuízos “gigantescos” à educação no Estado.

    Um projeto de lei que prevê à imunização havia sido aprovado pela Assembleia em abril, mas acabou sendo vetado pelo governador, que viu “inconstitucionalidade” na medida.

    No entanto, em sessão na manhã da última quarta-feira (30), o veto foi derrubado com 13 votos favoráveis e 7 contrários.

    “Não vou judicializar [a derrubada do veto]. Agora, eles vão prejudicar gigantemente a Educação. Em vários países da Europa, por exemplo, a educação foi a última a parar e a primeira a voltar. Aqui foi o primeiro que parou e o último que vai voltar. Olha como eles estão tratando a educação pública no nosso Estado”, criticou.

    “É muito provável que tenha filho, neto de deputado em escola privada que está tendo aula. E a educação pública não pode voltar? Olha que incoerência. Fica aí a reflexão”, emendou o governador.

    Mendes lembrou, por fim, que há muitas situações envolvendo professores que estão se recusando a se vacinar, faltando à imunização ou querendo “escolher” a vacina a ser recebida.

    Um levantamento recente feito na Capital, por exemplo, apontava os profissionais da Educação entre os mais faltosos.

    “Agora, tem professor que não quer vacinar. E aí? Não vai voltar para a sala de aula nunca mais? Eu não entendo essa lógica de parte dos deputados da Assembleia Legislativa”, finalizou.