02 de agosto de 2021
Mais
    Capa Notícias Política Prioridade é o interesse público, diz Roni sobre decisão na Câmara
    SEM TRAUMAS

    Prioridade é o interesse público, diz Roni sobre decisão na Câmara

    Roni Magnani lamentou suspensão da sessão de ontem com adiamento da votação de projetos importantes; ele disse que busca por espaço é legítima mas deve respeitar as normas

    Imagem: roni magnani Prioridade é o interesse público, diz Roni sobre decisão na Câmara
    O presidente da Câmara, Roni Magnani, disse que é
    preciso priorizar a votação dos projetos que afetam a população – Foto: Assessoria

    O presidente da Câmara Municipal de Rondonópolis, Roni Magnani, defendeu a decisão tomada ontem de não colocar em votação um requerimento que abria caminho para a proposta de antecipação da eleição da Mesa Diretora. A medida foi criticada por um grupo de vereadores que decidiu deixar o plenário da Casa, causando o fim antecipado da sessão ordinária.

    Em conversa com a reportagem do Agora MT, Roni lamentou o episódio. Ele disse que é preciso tomar cuidado para evitar que questões pontuais prejudiquem a votação de projetos importantes.

    “Não vejo problema em desejar a antecipação da eleição da Mesa. Entendo que eles têm o direito de se movimentar por espaço. Porém é preciso respeitar as normas e colocar o interesse público acima de tudo. Ontem deixamos de votar projetos importantes para suprir a demanda da secretaria de Saúde em atendimento às políticas de combate à Covid. Isso não pode acontecer”, reclamou.

    Sobre a recusa em colocar o requerimento em votação, Roni diz que cumpriu o regimento interno. “Eles protocolaram o requerimento de urgência após as 48 horas de antecedência previstas no Regimento. Cabia a mim, como presidente, decidir de forma fundamentada. Não há como considerar urgente a antecipação de uma eleição prevista para acontecer daqui a mais de um ano”.

    “O regime de urgência é para matérias que envolvem riscos de prejuízos irreparáveis, o que não é o caso. Se eu tivesse agido diferente e fosse questionado por qualquer outro vereador não teria como explicar”, disse Magnani

    SUPERAÇÃO
    O presidente da Câmara lembrou ainda que, em legislatura anterior, apresentou projeto semelhante e teve o mesmo tratamento da Mesa Diretora na época.

    “Meu pedido não previa a antecipação da eleição com tal antecedência, mas também foi negado e teve trâmite regular. A mesma coisa ocorrerá agora. Na próxima semana colocaremos o requerimento em votação e acredito que vamos superar essa situação”, avalia.

    Magnani também fez questão de ressaltar que manterá um tratamento isonômico, assegurando a liberdade de atuação e manifestação de todos os vereadores.

    “Desde que assumi a presidência tenho até evitado participar de votações exatamente para manter a isenção; e olha que houve casos de projetos importantes para o Executivo que não foram aprovados por apenas um voto. Tenho atuado com transparência e respeito à democracia. Continuarei agindo assim”, adiantou.

    Sobre os projetos que não foram votados ontem, Roni Magnani disse que conversará com o secretário de Saúde, Vinicius Amoroso, e o prefeito José Carlos do Pátio para avaliar a necessidade de convocação de uma sessão extraordinária. Do contrário as matérias entrarão na pauta da sessão ordinária da próxima quarta-feira (28).