04 de agosto de 2021
Mais
    Capa Notícias Política Senador pede sanção de projeto que autoriza produção de vacinas
    CONTRA COVID-19

    Senador pede sanção de projeto que autoriza produção de vacinas

    Projeto aprovado na Câmara e no Senado autoriza uso de laboratórios e indústrias veterinárias e pode tornar Brasil autossuficiente na produção de vacinas

    Imagem: Wellington Fagundes Senador pede sanção de projeto que autoriza produção de vacinas
    O senador Wellington Fagundes pediu que o presidente agilize sanção e regulamentação do projeto aprovado no Congresso – Foto: Reprodução

    O senador Wellington Fagundes (PL/MT) pediu hoje (05) que o presidente Jair Bolsonaro agilize a sanção do projeto autorizando o uso de indústrias veterinárias na produção de vacinas contra a Covid-19. O projeto já foi aprovado pela Câmara dos Deputados e pelo Senado e depende agora apenas da sanção presidencial.

    O parlamentar falou sobre o assunto durante a audiência promovida pela Comissão Temporária da Covid-19 do Senado para discutir a importância da comunicação no enfrentamento à pandemia. Wellington é o relator desta comissão.

    “Quero fazer o pedido de público ao presidente Bolsonaro. A vacinação em massa da população é o caminho para reduzirmos esse número de mortos que deixa o Brasil em posição de extrema complexidade. Tenho dito que esse é o Projeto da Vida. É extremamente importante que seja sancionado e tenha sua regulamentação o mais rápido possível”, afirmou.

    Fagundes também fez questão de destacar o empenho do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e de outros integrantes do Governo Federal. Ele lembrou que a iniciativa tem sido acompanhada e recebeu aprovação de representantes dos ministérios da Agricultura, Ciência e Tecnologia e dos técnicos da Anvisa.

    “Hoje já somos autossuficientes na fabricação de ventiladores, avançamos bastante na produção de oxigênio e estamos resolvendo a questão dos insumos hospitalares. A minha esperança é que até o fim do ano já tenhamos vacinas produzidas aqui para todos os brasileiros e até para outros países”, afirmou, destacando que só as indústrias do agro têm capacidade para produzir 400 milhões de doses.