Agora MT Brasil Anvisa analisa vacinar crianças a partir de 3 anos com Coronavac
PÚBLICO INFANTIL

Anvisa analisa vacinar crianças a partir de 3 anos com Coronavac

Nesta terça (22), a agência reúne especialistas para avaliar a ampliação do uso, com base em novos dados do Butantan

Fonte: R7

Imagem: Anvisa analisa vacinacao de criancas a partir de 3 anos contra a Covid Anvisa analisa vacinar crianças a partir de 3 anos com Coronavac
Anvisa analisa vacinação de crianças a partir de 3 anos contra a Covid – Reprodução

A discussão em torno da oferta da CoronaVac para crianças a partir de 3 anos no Brasil avança na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que, nesta terça-feira (22), recebe especialistas da área de saúde, imunização e pediatria para avaliar novos dados do Instituto Butantan direcionados à ampliação da faixa etária para o uso da vacina contra a Covid.

Parte dos dados sobre a CoronaVac para o público infantil já está nas mãos dos representantes das sociedades médicas convidados para a reunião, mas a apresentação com novas informações fornecidas pelo Butantan será feita apenas na reunião, sendo necessária a assinatura de um termo de sigilo e declaração de conflito de interesses.

Estarão presentes representantes da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Sociedade Brasileira de Imunologia (SBI) e Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco).

“O objetivo é compartilhar com o grupo de especialistas externos os dados de eficácia e segurança da vacina, a fim de que eles possam contribuir com o processo de avaliação técnica da Anvisa”, detalhou a agência, que, desde o início da discussão para vacinação do público infantil, tem incluído nas avaliações as indicações dos especialistas “para garantir que qualquer autorização de vacinas contra a Covid-19 para esse público seja feita dentro do mais alto padrão de segurança possível”.

Novos dados em relação ao estudo conduzido no Chile a partir de crianças entre 3 e 5 anos vacinadas com a CoronaVac devem fazer parte da apresentação. Ainda sem revisão de pares, uma nova avaliação de efetividade em 500 mil crianças durante o surto da Ômicron revelou que o imunizante evitou 69% de internações em UTIs e preveniu 64,6% de hospitalizações. A efetividade contra a infecção foi de 38,2%. Os resultados preliminares indicam uma menor eficácia da vacina contra a cepa, mas também o cumprimento da capacidade de proteção.

Ainda na reunião, deverão ser incluídas respostas do Butantan às exigências técnicas feitas pela Anvisa na semana passada. A reguladora cobrou informações de farmacovigilância, para entender o efeito da vacina a partir do uso na população e do monitoramento, que avalia aspectos de segurança e eficácia.

“Serão entregues as respostas para os questionamentos colocados pelo órgão sanitário, envolvendo as áreas de epidemiologia e medicamentos, sobre a aplicação da CoronaVac na faixa etária de 3 a 5 anos. O envio dos documentos ocorrerá dentro do prazo regulamentar”, afirmou o Butantan.

Até que todos os dados sejam entregues, o período de análise de sete dias para concluir o novo pedido de indicação solicitado é congelado. A Anvisa pondera que o pedido de exigência de mais informações “não interrompe a análise pelos técnicos da agência, que continuam trabalhando no processo”.

A reunião de terça não tem caráter terminativo, o que significa dizer que não há previsão de uma decisão em relação a autorizar ou não a expansão da faixa etária para o uso da CoronaVac. Essa resposta pode vir na próxima semana, a partir de análise técnica e decisão da diretoria colegiada, mas somente se o Butantan cumprir com todas as exigências de dados feitas pela reguladora.

Atualmente, o Brasil vacina crianças a partir dos 5 anos, com a Pfizer, e a partir dos 6, com a CoronaVac. Caso haja a liberação para atender o público de 3 e 4 anos, mais 5,9 milhões de crianças poderão receber o imunizante, ministrado em duas doses, com intervalo de 28 dias entre elas.

Relacionadas

Polícia Federal identifica suspeito de vazar prova do Enem em 2023

A Polícia Federal identificou o suspeito de vazar a prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) em novembro do ano passado. Com a...

Extremo climático ou falha humana? Especialistas analisam inundações

Em cenários de crise, é comum a busca por causas e responsabilidades. A tragédia das chuvas no Rio Grande do Sul, que provocaram a...

Fiscalização contra pesca predatória na região do Araguaia apreende armas de fogo, redes e tarrafas

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) realizou uma operação contra pesca predatória nos rios Araguaia, Fontoura, Crisóstomo e Tapirapé e resultou com...

Chuvas intensas voltam a cair no Rio Grande do Sul, e governo alerta para evacuação

Com as chuvas intensas que voltaram a cair em diversos municípios do Rio Grande do Sul na noite de sábado (11), inclusive na capital,...

Mato-grossenses já contribuíram com R$ 20 bilhões em tributos; valor está 19,25% maior sobre 2023

Mato Grosso atingiu essa semana o valor de R$ 20 bilhões de arrecadação em tributos municipais, estaduais e federais. O telão do Impostômetro, instalado...

Traficante é preso pelo GAP após ser flagrado com drogas

Um homem de 51 anos foi preso pelo Grupo de Apoio (GAP) da Polícia Militar (PM) pelo crime de tráfico de drogas, na noite...

Pacheco e Padilha anunciam que governo vai manter desoneração de municípios em 2024

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou nesta quinta-feira (16) que o governo, o Congresso e os municípios entraram em acordo para que...

20° Encontro Nacional de Violeiros de Poxoréu une artistas de diferentes gerações no próximo dia 31

Tradição entre o povo interiorano, a viola é importante elemento da região central do Brasil, incluindo Mato Grosso. Para reforçar tais raízes e propagar...

Governo autoriza importação de arroz para enfrentar impactos das enchentes no RS

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou a Medida Provisória nº 1.217, que autoriza a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) a importar até...

Especiais

Últimas

Editoriais

Siga-nos

Mais Lidas