Mais
    Agora MT Notícias Ação Social debate implantação do Programa Família Acolhedora em Rondonópolis
    PROTEÇÃO À CRIANÇA

    Ação Social debate implantação do Programa Família Acolhedora em Rondonópolis

    Cada família acolhedora deverá acolher uma criança/adolescente por vez, exceto quando se tratar de grupo de irmãos, quando esse número poderá ser ampliado

    Fonte: GCOM
    VIA

    Imagem: implantacao do Programa Familia Acolhedora Ação Social debate implantação do Programa Família Acolhedora em Rondonópolis
    Implantação do Programa Família Acolhedora – Reprodução

    A Secretaria Municipal de Promoção e Assistência Social -SEMPRAS, realizou na tarde desta quinta-feira (12) na sede da pasta, um encontro envolvendo representantes do Ministério Público (vara da infância e juventude), Tribunal de Justiça; o Grupo Ampara de Cuiabá (MT), Conselhos Tutelares; Conselho de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente – CMDCA; bem como profissionais da área da rede de proteção à criança, para debater a implantação do “Programa Família Acolhedora” na cidade.

    Conforme informações repassadas pela Gerente do Departamento de Proteção e Assistência Social, Fabiana Rizati, esse encontro já significa uma resposta da gestão municipal a uma visita de uma comitiva de representantes da Corregedoria do Estado de Mato Grosso, que veio tratar da situação de acolhimento de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social ou que sofreram algum tipo de violação dos seus direitos no município.

    Todavia, como a cidade já possui uma unidade de acolhimento institucional para crianças nessa situação, a ‘Casa Abrigo de Rondonópolis” comporta e acolhe cerca de 20 crianças.

    No entanto, agora o município está aderindo a esta nova proposta de modalidade de acolhimento, que é tipificada no serviço de assistência social e é denominada Programa Família Acolhedora.

    Então conforme Fabiana, esse encontro envolvendo todos esses atores sociais, visou sobretudo, abrir o debate para a questão da proteção às crianças, adolescentes ou grupos de irmãos em situação de risco pessoal e social, e cuja situação legal ainda esteja sendo avaliada e os trâmites da justiça sejam completados.

    “Essa nova modalidade que a gente está ampliando o debate com a rede de proteção à criança no município, é muito inovadora, pois já existem cinco municípios do estado como; Santo Antônio do Leverger; Diamantino, Sorriso, Campo Verde, já desenvolvendo esse trabalho e oferecendo essa modalidade de acolhimento as crianças, e Rondonópolis está no rol dos próximos a aderir, como a Capital Cuiabá que também já discute a implementação do programa”, explicou

    Conforme a representante da Ação Social, nesse primeiro momento, a troca de experiências entre a Secretaria e os representantes do Grupo Ampara da capital, vai possibilitar abrir o debate trazendo a legislação brasileira, e discutir vários trâmites legais necessários para processar e implementar o programa no município.

    Ainda conforme ela, o encontro representa o início da possibilidade da existência de uma unidade de acolhimento da Família Acolhedora em Rondonópolis.

    O que é o Programa Família Acolhedora? 
    O Programa Família Acolhedora consiste no cadastro e capacitação de famílias da comunidade para receberem em suas casas, por um período determinado, crianças, adolescentes ou grupos de irmãos em situação de risco pessoal e social, dando-lhes acolhida, amparo, aceitação, amor e a possibilidade de convivência familiar e comunitária.

    A família de acolhimento representa a possibilidade de continuidade da convivência familiar em ambiente sadio para a criança ou adolescente, enquanto acontecem os trâmites do processo judicial envolvendo a criança.

    Então, receber uma pessoa em acolhimento provisório não significa adotá-lo ou integrá-lo como filho. A família de apoio assume o papel de parceira no atendimento e na preparação para o retorno à família biológica ou substituta.

    Todavia como o programa representa mais um serviço social, a família acolhedora recebe, por seis meses, período determinado de uma adoção provisória, uma ajuda de custo de um salário mínimo. A maioria das crianças e adolescentes que participam do programa retornam aos seus lares, após o período de acolhimento em lares substitutos.

    Cada família acolhedora deverá acolher uma criança/adolescente por vez, exceto quando se tratar de grupo de irmãos, quando esse número poderá ser ampliado.
    Casais, mulheres e homens solteiros podem ser acolhedores. As famílias acolhedoras são selecionadas, capacitadas e acompanhadas pela equipe técnica do Serviço de Acolhimento.

    Como ser um lar temporário?
    É preciso ter disponibilidade afetiva, tempo para cuidar de uma criança de zero a três anos e não possuir antecedentes criminais.

    Relacionadas

    Setrat inicia sinalização de vias para disciplinar estacionamento irregular ao longo de canteiros centrais

    Após muita reclamação e transtornos causados por motoristas e usuários de vias públicas que estacionam irregularmente seus veículos ao lado dos canteiros centrais, nas...

    Brasil registra primeiros casos de transmissão comunitária da varíola do macaco

    A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro confirmou nesta quinta-feira (23) dois novos casos de varíola do macaco na cidade, sendo que nenhum dos...

    Casal de idosos é morto a facadas em imóvel

    Um casal de idosos foi morto a facadas dentro de um apartamento no bairro Jardim Botânico, na zona sul do Rio de Janeiro, na...

    Preço da saca de soja registra queda em Rondonópolis

    Os preços da soja apresentaram forte queda nas principais praças do país. Com Chicago despencando, os negociadores se afastaram e praticamente não houve negócios. Em...

    Tiroteio em boate na Noruega deixa ao menos dois mortos e 21 feridos

    Duas pessoas morreram e 21 ficaram feridas em um tiroteio que ocorreu em três bares no centro de Oslo, neste sábado (25), segundo a...

    Ministro STF, Gilmar Mendes, é Mato-grossense | Entendendo Direito

    Oi, pessoal. Hoje falaremos do mais polêmico e poderoso ministro do Supremo Tribunal Federal, o ministro Gilmar Ferreira Mendes - o ministro mais antigo...

    Cabra fere 40 soldados russos ao acionar série de bombas

    Uma cabra feriu 40 soldados russos quando acionou acidentalmente uma série de granadas das tropas russas em Zaporizhzhia, no sudeste da Ucrânia, informou o órgão...

    Moto é recuperada em abordagem e suspeito é preso

    Uma motocicleta Honda CG 150 Titan ES de cor vermelha sem placa com registro de roubo foi apreendida e recuperada pela Polícia Militar (PM)...

    Lei Seca prende 11 pessoas e fiscaliza mais de 100 veículos

    A Operação Lei Seca prendeu, na madrugada deste sábado (25), 11 pessoas, sendo seis por embriaguez ao volante e cinco por conduzirem veículo sem...

    Especiais

    Últimas

    Editoriais

    Siga-nos

    Mais Lidas