Mais
    Agora MT Brasil STF valida punições para motorista que recusar teste de bafômetro
    LEI SECA

    STF valida punições para motorista que recusar teste de bafômetro

    Quatro pontos da norma foram questionados no tribunal, entre eles a venda de bebidas alcoólicas em rodovias federais

    Fonte: R7
    VIA

    Imagem: bafometro
    Foto: Ilustrativa

    O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que é válida a punição a motoristas que se recusam a fazer o teste do bafômetro. De acordo com a Lei Seca, motoristas que dispensam “teste, exame clínico, perícia ou outro procedimento que permita certificar influência de álcool ou outra substância psicoativa” cometem infração gravíssima.

    As sanções são multa — atualmente de R$ 2.934,70 —, suspensão do direito de dirigir por um ano, recolhimento da habilitação e retenção do veículo.

    De acordo com dez dos 11 ministros, todos os dispositivos da Lei Seca permanecem válidos. Três ações na Corte, de 2008, pediam a declaração de constitucionalidade ou inconstitucionalidade de quatro trechos da norma: (1) o que pune com multa quem se nega a realizar o teste do bafômetro; (2) o que reprime o direito de ir e vir de quem fica parado em blitz; (3) o que penaliza quem dirige sob qualquer concentração de álcool no sangue; e (4) o que proíbe a venda de bebidas alcoólicas em rodovias federais.

    As ações foram ajuizadas pela Confederação Nacional do Comércio (CNC), pela Associação Brasileira de Restaurantes e Empresas de Entretenimento (Abrasel) e pelo Departamento de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran-RS).

    O procurador-geral da República, Augusto Aras, opinou pela constitucionalidade de todos os dispositivos questionados. De acordo com ele, “não existe um direito a dirigir sob efeito de álcool, por menor que seja a quantidade da substância. A liberdade individual não pode ser absoluta de modo a comprometer a vida, a saúde e a integridade de terceiros. E a sociedade, como um todo, não pode ser colocada em risco por voluntarismo de quem quer que seja”.

    O relator dos casos, ministro Luiz Fux, concordou com Aras. Os ministros André Mendonça, Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Cármen Lúcia, Rosa Weber, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes seguiram o voto do colega. De acordo com o texto, “o álcool pode alterar a capacidade de discernimento e aumentar o risco de acidentes mesmo com um nível baixo de alcoolemia”. Para o relator, a Lei Seca trouxe “segurança jurídica” ao motorista. “A intolerância é estabelecida de tal sorte que o condutor possui a plena noção de que não deve fazer antes de dirigir — e, se o fizer, sabe quais serão as consequências.”

    O magistrado disse ainda que, conforme laudos, o uso de antissépticos bucais ou a ingestão de remédios com composição alcoólica e de doces com licor não seriam capazes de fazer com que o bafômetro detectasse álcool no organismo.

    Sobre a proibição da venda das bebidas em rodovias federais, o ministro disse que “não se deve mexer naquilo que está dando certo”.

    Apenas o ministro Kassio Nunes Marques discordou em parte do relator. Ele considerou inconstitucional a proibição da venda de bebidas alcoólicas em estradas federais fora das cidades. “Não há prova alguma de que exista causalidade entre a venda de bebida alcoólica às margens das rodovias federais e os acidentes provocados por consumo de álcool. Na verdade, não existe qualquer tipo de estudo que tenha justificado racionalmente a medida.”

    Relacionadas

    PC recupera carreta carregada de gado roubada em fazenda

    Uma carreta carregada com cabeças de gado, roubada nesta terça-feira (28), foi recuperada pela Polícia Civil, em uma ação conjunta das Delegacia de Nobres,...

    Governo confirma o primeiro caso de varíola do macaco em Minas Gerais

    O Governo de Minas Gerais confirmou, nesta quarta-feira (29), o primeiro caso de varíola do macaco no estado. O caso foi registrado em Belo Horizonte....

    Preço da saca de soja registra queda em Rondonópolis

    Os preços da soja apresentaram forte queda nas principais praças do país. Com Chicago despencando, os negociadores se afastaram e praticamente não houve negócios. Em...

    2º semestre | Inscrições para o Sisu começam nesta terça-feira

    Começam hoje (28) as inscrições para o segundo processo seletivo de 2022 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Os candidatos às vagas que serão...

    Sem retorno de Ofício, deputada promete reforçar pedido de reabertura de leitos Covid à SES-MT

    À reportagem, a deputada estadual Janaína Riva (MDB) confirmou que ainda não obteve por parte da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) um retorno...

    Operação cumpre mandados judiciais contra investigados por tráfico de drogas

    A Operação Ráquis, deflagrada na manhã desta quarta-feira (29.06) pela Polícia Civil de Mato Grosso cumpre mandados judiciais de prisão e de busca e...

    Conheça 4 vitaminas para unhas fortes e brilhantes

    Atividades diárias como lavar as mãos, lavar louça e exposição constante a sabonetes, detergentes ou outros produtos de limpeza podem causar estragos em suas...

    Outdoor com “homenagem” a vereadores que aprovaram aumento de IPTU é incendiado

    Não durou muito a “homenagem” feita pelo Movimento Conservador de Rondonópolis aos vereadores do município que votaram a favor da aprovação do aumento do...

    TSE regulariza título de mais de 81 mil eleitores em MT

    Atendendo ao pleito do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) regularizou a situação de 81.351 pessoas em Mato...

    Especiais

    Últimas

    Editoriais

    Siga-nos

    Mais Lidas