Agora MT Economia Juro real supera 10% com queda da inflação e abre caminho para...
ÍNDICE DE PREÇOS

Juro real supera 10% com queda da inflação e abre caminho para cortes da taxa Selic

Com taxa básica mantida em 13,75% ao ano, deflação apurada em junho leva juro real para o maior nível desde o fim de 2016

Fonte: R7

Imagem: jurosA deflação apurada no mês de junho fez a taxa de juro real da economia brasileira superar a marca de 10% pela primeira vez desde o fim de 2016. Tal movimento confirma as expectativas do mercado financeiro e reforça a pressão pelo corte da taxa Selic no mês de agosto.

Mantida em 13,75% ao ano desde agosto do ano passado, quando os juros reais eram de 4,53%, a taxa básica exerceu seu papel de principal ferramenta de política monetária para conter o avanço da inflação.

Com o movimento, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) acumulado nos 12 meses encerrados em junho recuou para 3,16%. O percentual, abaixo da meta preestabelecida pelo governo para este ano, é o mais baixo desde setembro de 2020 e eleva para 10,17% o nível do juro real (descontado a inflação) do Brasil, patamar em ascensão desde maio do ano passado.

A última vez em que os juros reais haviam superado a marca de 10% foi em novembro de 2016, quando a inflação rondava 3% e a taxa Selic figurava em 13,15% ao ano. De lá para cá, as taxas operaram em patamares mais baixos e até ficaram no campo negativo quando os juros básicos foram derrubados, em 2020, para 2% ao ano, o menor nível da história.

Marianna Costa, economista-chefe do TC, afirma que a adoção de uma política monetária restritiva, com os juros em níveis elevados, tem o objetivo de conter o avanço dos preços no médio e longo prazo. “O que o BC procura é ancorar as expectativas inflacionárias para conseguir direcionar a inflação para o centro da meta”, explica ela.

“Olhando para a frente, devemos observar uma queda da taxa real de juros, principalmente porque é esperado um ciclo de afrouxamento monetário, que deve começar na segunda metade deste ano. […] A partir de então, caberá ao BC observar, com toda atenção, os efeitos da taxa de juros menor e menos restritiva sobre a atividade econômica e a dinâmica de preços”, diz Marianna.

Para André Meirelles, diretor de alocação e distribuição da InvestSmart XP, o arrefecimento da inflação confirma a abertura de espaço para o corte dos juros. “A divulgação da deflação de junho, já amplamente esperada pelos agentes de mercado, só confirmou que, finalmente, tenhamos o início da trajetória de queda na Selic”, avalia ele.

Ritmo da queda
Com o primeiro corte em um ano já precificado pelo mercado financeiro, o governo agora pressiona para que a taxa Selic seja reduzida em 0,5 ponto percentual, para 13,25% ao ano, na próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), não em apenas 0,25 ponto percentual, como estima a maioria dos analistas.

“Não é possível que o BC não comece a baixar a partir de agosto, e que o corte não seja de 0,5 ponto, porque 0,25 vai mostrar uma sinalização de que não vamos chegar a 12% até o fim do ano”, disse a ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, na última quinta-feira (13).

Carlos Caixeta, economista e membro do IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa), avalia a redução da Selic em agosto, provavelmente, em 0,25 ponto percentual. Ele, no entanto, ressalta que o corte pode chegar a 0,5 ponto, a depender da influência dos novos diretores indicados pelo governo.

“A queda da Selic, na hora certa, é benéfica para a economia, pois estimula os investimentos, o consumo, reduz o custo para o acesso ao crédito e contribui para a redução da inadimplência”, destaca Caixeta. Na ata da última reunião, o Copom admitiu, pela primeira vez, a possibilidade de reduzir a taxa básica de juros em agosto após sequência de sete manutenções no maior nível desde 2017.

“A avaliação predominante foi a de que a continuação do processo deflacionário em curso, com consequente impacto sobre as expectativas, pode permitir acumular a confiança necessária para iniciar um processo parcimonioso de inflexão na próxima reunião”, ressalta o documento.

De acordo com as projeções mais recentes do mercado financeiro, apresentadas pelo Boletim Focus antes do anúncio da deflação de junho, a taxa Selic deverá recuar a 13,5% ao ano no próximo mês. Após a primeira baixa, os analistas preveem recuos nos meses de setembro (0,5 ponto), novembro (0,5) e dezembro (0,5), movimento que, se confirmado, levará a Selic a 12% ao ano na entrada de 2024.

Relacionadas

Inscrições para o processo seletivo de professores do Pronatec terminam nesta sexta-feira (24)

Termina nesta sexta-feira (24) o prazo de inscrições para cadastro reserva de professores bolsistas nos cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) e Curso...

Governo suspende leilão para compra de 104 mil toneladas de arroz

A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) suspendeu o leilão de compra de 104 mil toneladas de arroz beneficiado polido, previsto para ocorrer nesta terça-feira...

Brasil ultrapassa 5 milhões de casos prováveis de dengue

O Brasil já contabiliza 5.100.766 casos prováveis de dengue em 2024. O número representa mais que o triplo de casos prováveis da doença identificados...

Grupo armado ataca garimpo e deixa dois mortos em MT

Dois garimpeiros foram assassinados e outros quatro ficaram feridos durante uma tentativa de chacina, na madrugada deste domingo (26), no garimpo na região da...

Congresso discute 25 projetos de lei e 3 PECs que flexibilizam regras ambientais

O Congresso Nacional tem 25 projetos de lei e três PECs (Propostas de Emenda à Constituição) que sugerem alterações em leis ambientais. Os textos...

Polícia Civil e Juvam resgatam cachorros que estavam abandonados após dono sofrer AVC

Policiais civis da Delegacia Especializada de Meio Ambiente (Dema), que atuam no Núcleo de Combate aos maus tratos animais, em parceria com a equipe...

Trio investigado por furtar cargas de grãos de fazenda é condenado a 38 anos de prisão

Três investigados na Operação Grãos de Ouro, da Delegacia da Polícia Civil de Alto Taquari, foram condenados na última semana a 38 anos de...

Atirador pula muro de kitnet e mata adolescente em Mato Grosso

Uma adolescente de 17 anos morreu após ser atingida por vários disparos de arma de fogo, no início da madrugada deste domingo (26), em...

Gefron apreende 86 quilos de drogas e causa prejuízo em mais R$ 450 mil ao tráfico

Uma ação policial resultou na apreensão de 65 kg de substância análoga a maconha, 19 kg de substância análoga a pasta base de cocaína...

Especiais

Últimas

Editoriais

Siga-nos

Mais Lidas