Professores da rede estadual tiveram uma reunião com o governador Silval Barbosa na frente da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Pontes e Lacerda (448 km ao oeste de Cuiabá) para discutir a greve que acontece há 11 dias em Mato Grosso e atinge cerca de 76% das escolas estaduais. Na ocasião, Barbosa reafirmou que não tem como garantir o piso salarial de R$ 1.312 devido à falta de recursos. O gestor pediu paciência, mas a categoria assegurou que a paralisação continua e que estudos técnicos constataram a possibilidade financeira do governo de conceder o acréscimo de forma imediata.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep), Gilmar Soares, explica que a categoria está irredutível e, a partir de agora, vai fazer protestos em todos os municípios que forem visitados pelo governador. Para a próxima semana, uma série de ações estão previstas pelos servidores. Entre elas está um ato público na frente da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). A manifestação será na segunda-feira (20), às 14h.

Leia também:  Rondonópolis terá duas representantes no Miss Mato Grosso 2017
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.