As mudanças hormonais que ocorrem nas mulheres durante o período gestacional geralmente têm grande impacto nos cabelos e na pele. Espinhas no rosto e no pescoço, oleosidade nos fios e manchas escuras são alguns dos efeitos da gravidez. “Entretanto, essas alterações variam de mulher para mulher. Há muitos casos de grávidas que apresentam melhoras tanto na pele quanto nos cabelos”, explica a Dra. Josean Quental, membro de Academia Americana de Dermatologia.

Para as mulheres que não são beneficiadas com um equilíbrio hormonal favorável, alguns cuidados são essenciais para melhorar o aspecto da pele e dos cabelos. E nunca é demais relembrar que, na hora de escolher um produto, deve-se prestar atenção se ele não fará nenhum mal ao bebê. Veja algumas dicas:

Acne
Os ácidos fitoterápicos – provenientes de plantas – são os indicados para fazer limpeza de pele e diminuir a oleosidade. “Cremes à base de ácido fítico (arroz), mandélico (amêndoa) ou glicólico (açúcar) podem ser usados. Clareadores à base de vitamina C também não fazem mal”, explica Josean. Os peelings de cristal também estão liberados, já que não contêm produtos químicos. A especialista adverte que antes de iniciar qualquer tratamento, deve-se procurar um dermatologista, que indicará a concentração correta dos produtos.

Leia também:  Os sinais ignorados do infarto

Manchas escuras
O melasma (também conhecido como cloasma ou máscara gravídica) são manchas escuras que surgem, geralmente, no buço, na testa e nas maçãs do rosto. Apesar de ocorrer em qualquer mulher, grávida ou não, a chance de aparecer durante a gravidez é bem maior, principalmente em quem já tem predisposição a ter esse tipo de problema. “Para amenizar, clareadores à base de vitamina C são os mais indicados, além de clareadores com ácidos fitoterápicos”, diz a médica, que alerta para a necessidade de consultar um dermatologista antes de utilizar qualquer produto.

Marcas de sol
A indicação da especialista é evitar o sol durante os nove meses. “Como os hormônios estão desequilibrados, a pele fica mais suscetível a manchas”, explica. Por isso, mulheres que moram em cidades litorâneas ou ficam expostas ao sol, devem abusar de filtro solar. A dica é equilibrar o produto à necessidade da grávida, usando um filtro menos oleoso, se tiver com problema de acne ou um mais cremoso, se estiver com a pele mais seca.

Leia também:  Veja os benefícios para a beleza que só a gestante desfruta

Estrias
As estrias formam-se quando a pele estica, por causa da ruptura das fibras de colágeno e elastina – responsáveis pela elasticidade da pele. Em mulheres grávidas, elas surgem principalmente na barriga, quadris e seios. A melhor maneira de evitá-las é a prevenção, com o uso de hidratantes (principalmente nessas partes do corpo) desde que se descobre a gravidez. “Os óleos de amêndoas e de uvas são os mais indicados para usar durante o período gestacional”, explica Josean. As mulheres que têm predisposição a ter estrias devem intensificar a hidratação e controlar o peso, já que qualquer tratamento mais intensivo (como peeling) só poderá ser feito após o parto.

Cabelos
Todo tipo de tratamento químico (relaxamento, alisamento e tinturas) devem ser suspensos. “Para os cabelos, vale a mesma regra de não usar nada que contém algum tipo de ácido”, diz a especialista. Quanto às mudanças nos fios, que podem ficar mais ou menos oleosos, as mulheres grávidas devem prestar atenção às alterações para trocar de xampu ou condicionador, se necessário.

Leia também:  Dá-lhe magnésio

Irritações e alergias
É comum que algumas grávidas sintam coceiras em algumas partes do corpo por conta da alteração hormonal. Mas ao sinal de qualquer coceira ou irritação a Dra. Josean aconselha procurar um dermatologista e não utilizar nenhum produto sem indicação médica. “Um especialista é que pode analisar a pele e verificar o motivo da irritação”, finaliza.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.