Foto: arquivo / AGORA MT

Desinfetante, detergente, água sanitária, papel higiênico, sabonete e fralda descartável são itens que faltam nas Unidades de Educação Infantil (Umei) e Escolas Municipais de Educação Integral (Emeis) de Rondonópolis, o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rondonópolis (Sispmur) cobra uma atitude para solucionar o problema.

Rubens de Oliveira Paulo, presidente do Sispmur, declarou que os produtos estão em falta no almoxarifado da Secretaria de Educação e que há caso de crianças que tomam banho com sabão de barra, pois a creche onde estudam não possui sabonete. De acordo com Rubens, em muitas unidades os pais levam fraldas e sabonetes para as escolas e creches, e também há casos de doação de professores e empresários para tentar amenizar o problema.

Leia também:  Técnico do União lamenta: “Dava para ir mais longe”

O sindicalista afirma que o problema não está na licitação e sim na administração. “A culpa da falta de materiais não é a demora na licitação e sim da administração, pois há atraso no repasse dos fornecedores e que consequentemente suspendem a venda dos materiais para o município”, denunciou.
Outra pauta que o presidente do Sispmur tenta discutir com o prefeito José Carlos Junqueira de Araújo (PMDB) é de descentralização do recurso da Secretaria de Educação para uma maior agilidade no processo de aquisição dos materiais e o repasse de 100% do recurso para a merenda que foi reduzido a 60% para gestão dos diretores.“Dentre os pontos que precisam ser regularizados está a verba de custeio que deveria ser utilizada para situações de emergência e que os diretores são orientados erroneamente pela Semec, na compra de materiais de limpeza”, observou Rubens.

Leia também:  Estado tem 48h para regularizar repasses para Santa Casa de Pontes e Lacerda
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.