Os servidores da educação do município de Rondonópolis aprovaram por unanimidade o indicativo de greve durante assembleia realizada hoje (13), no Canadá Country Clube. A possibilidade de uma paralisação pode acontecer caso o prefeito Zé Carlos do Pátio não aceite negociar antes do ano eleitoral.

O presidente do Sispmur, Rubens de Oliveira Paulo, explicou que será realizada uma nova assembleia quando os servidores retornarem das férias para que eles decidam conforme a atuação do prefeito em relação às negociações se paralisam ou não as atividades. “Já cansamos de tentar negociar com a prefeitura e se não tomarmos uma medida agora, tudo estará perdido, já que o ano que vem é eleitoral e muitas das nossas reivindicações não podem ser atendidas por causa da legislação”, fala.

Leia também:  Ingressos para a 3ª Edição do Cerrado Fuzz Festival estão à venda

Rubens comentou que uma das preocupações é relação ao piso salarial da educação que está bem abaixo do estado. “Em Rondonópolis o piso da educação é R$ 1.517 enquanto que o dos professores do estado é de R$ 1.968, representando uma grande diferença. Nessa gestão o salário da categoria despencou”, diz.

Rubens conta que os servidores não querem greve, mas que não tem alternativa, já que o prefeito não quis fazer um acordo. “O ano letivo pode começar sem aulas, caso o prefeito não sinalize uma negociação. No ano passado a data base que é prevista para janeiro, só aconteceu em abril, ou seja, caso isso aconteça em abril estaremos de mãos atadas por faltar apenas seis meses para as eleições municipais”, explica.

Leia também:  Prefeitura paga salário, metade do 13º e injeta mais de R$ 20 milhões na economia local

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.