Deputado federal Valtenir Pereira e o presidente municipal do PSB Jamílio Adozino de Souza. Foto da assessoria

Visando as próximas eleições municipais o Partido Socialista Brasileiro (PSB) promoveu uma reunião no último domingo (29/01), no Auditório do Serras Hotel,  e definiu o cronograma de Ações políticas para 2012. A principal decisão diz respeito ao Movimento Rondonópolis Muito Mais, integrado ainda pelos PPS, PV e PDT, com os socialistas definindo a posição do partido.

Em reunião paralela ao encontro socialista foi estabelecida a Juventude Socialista do PSB de Rondonópolis, integrada por 43 jovens estudantes e profissionais liberais, que deverá ocupar quatro vagas na chapa de vereadores do partido. Os nomes em discussão são as estudantes universitárias Bárbara Soares Mendes e Ana de Paula Mello (UFMT), o empresário de comunicação Leirson Fernando Vilalba e o advogado Roger Mauricio Santos.

Outro departamento do Partido Socialista que sofreu uma reformulação no encontro foi a Secretaria de Mulheres, integrada por um núcleo de 50 militantes, que passa a contar com a liderança da empresária Claudia Fagotti, assistida pela ex-vereadora e deputada Vilma Moreira, as professoras Mercedes Giaretta e Francileide Passos e a empresária Neuza Novaes da Rocha.

Leia também:  Silval delata Maggi, senadores, deputados e TCE

A principal discussão socialista, no entanto, centrou-se na definição da chapa de vereadores para as eleições de 2012. O PSB dispõe de um grupo de 47 nomes para concorrer a vereador e sabe que não há espaço para todos na chapa que será levada à assembléia geral em junho. Assim iniciou uma avaliação do potencial eleitoral de cada candidato com o objetivo de reduzir o número de postulantes. De acordo com o presidente municipal do PSB Jamílio Adozino de Souza: “Esta é uma discussão interna que ainda vai longe. Mas há uma realidade inconteste. A Lei Eleitoral estabelece um limite para as candidaturas dos partidos e este limite tem que ser respeitado. O PSB gostaria de disponibilizar vagas para todos, porque assim poderíamos avaliar nas urnas o real potencial político-eleitoral das suas lideranças. Mas a legislação impede esta iniciativa e o partido tem que seguir a lei”, afirmou o dirigente socialista.

Leia também:  Sanear passará a cobrar taxa de lixo a partir de outubro

Adozino informou também que, se o Movimento Rondonópolis Muito Mais já é uma realidade política para as próximas eleições, o PSB sai na frente na elaboração de um Plano de Governo a ser apresentado para a sociedade rondonopolitana e implantado pelo próximo prefeito. Este projeto trabalha prioritariamente os setores da saúde, educação e emprego, já que são as áreas da administração municipal, mais vulneráveis e carentes de iniciativas do poder público. Segundo o presidente do PSB: “o caos da saúde municipal, refletido pelo atendimento deficiente, o problema do SAMU, os PSFs desassistidos e mal equipados e o desrespeito à população, mais carente, que procura por atendimento é uma realidade. Parece que só o Prefeito não vê este caos. O Projeto de Governo a ser proposto pelo PSB ao Movimento Rondonópolis Muito Mais trata ainda da segurança. A questão das câmeras de monitoramento inoperantes é muito grave, porque envolve, além da questão de segurança pública, dinheiro do contribuinte que está sendo jogado no lixo. O projeto abrange todas as áreas de atuação do poder público e, está sendo trabalhado por especialistas de cada setor da administração municipal”, finalizou Jamílio Adozino.

Leia também:  Bombeiros se preparam para receber a Esquadrilha da Fumaça
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.