Foto: GPNow

Manifestantes de oposição no Barein planejam “dias de fúria” durante a realização do Grande Prêmio de Fórmula 1 no país, no próximo fim de semana, e as forças de segurança detiveram dezenas de ativistas em meio aos preparativos para a corrida.

O Barein, pequeno reino insular do Golfo Pérsico, vive uma crise política há mais de um ano, com uma violenta repressão a manifestações por democracia que são parte da chamada Primavera Árabe.

“Boicote a F1 no Barein”, diz uma pichação num muro próximo a Manama, a capital, junto à imagem de um carro vermelho da Ferrari. “Vocês vão correr sobre o sangue dos mártires.”

A corrida de 2011 no país foi cancelada por causa da rebelião, e a edição deste ano só foi confirmada na semana passada, depois que o dirigente comercial da categoria, Bernie Ecclestone, garantiu que a situação no Barein é “tranquila e pacífica”.

Leia também:  Suspeitos de matar jovem para roubar motocicleta são linchados em praça pública na Bolívia

A realização da corrida poderá ser uma chance para que a família real Al Khalifa exiba uma atmosfera de normalidade no reino – desde que protestos e confrontos fiquem restritos aos bairros habitados pela maioria xiita, e não cheguem às principais ruas e avenidas da capital.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.