O setor de Habitação local obteve a aprovação junto a Caixa Econômica Federal do novo bairro Bispo Dom Pedro Casaldáliga. Foto Matusalem Teixeira/ da assessoria

Rondonópolis acaba de ganhar mais um residencial com 500 moradias para realizar o sonho da casa própria à população de baixa renda do Município. O setor de Habitação local obteve a aprovação junto a Caixa Econômica Federal do novo bairro Bispo Dom Pedro Casaldáliga.

As obras devem iniciar no começo do mês de maio. O programa que contempla o benefício é o ‘Minha Casa, Minha Vida’, sendo os recursos provenientes do Programa de Aceleração de Crescimento – PAC 2. O novo residencial vai ser construído ao lado do Jardim Europa. Na região a Prefeitura já investiu com a construção de outras moradias populares, como o Altamirando de 257 casas.

O secretário adjunto de Habitação, Paulo José Correia, lembra que o atual plano de habitação está solucionando dois problemas pontuais do povo rondonopolitano. Segundo ele, os novos residenciais não só oferecem moradia para famílias com maior número de filhos e contribuem para o socorro social como também estão ajudando a ‘povoar’ a cidade.

Leia também:  Inscrições para a 3ª Feciti encerram-se na próxima segunda-feira (31)

O secretário lembra que o bairro da Vila Paulista era tido como ‘afastado’ na cidade. E que o atual planejamento tem mudado este panorama. “Temos o Altamirando e agora o Bispo Dom Pedro Casaldáliga, além deles formou-se na região novas residências no ‘Três Américas’. Se contabilizarmos que na região também se engloba agora o Ananias Martins e o Alfredo de Castro são 5 mil pessoas que levamos para fortificar e desenvolver ainda mais a região”, frisou.

As lacunas entre um bairro e outro são consideradas um dos grandes desafios para a Administração de Rondonópolis. A ‘explosão populacional’ das últimas décadas motivou o crescimento desordenado da massa urbana e o objetivo da atual gestão se dá no sentido de reorganizar este problema. Segundo Paulo José o plano é um pedido direto do Executivo já que tal realidade é onerosa para os cofres públicos. “Foi um pedido direto do prefeito e acho que estamos chegando perto de boas soluções”, concluiu.

Leia também:  Prefeitura paga salário, metade do 13º e injeta mais de R$ 20 milhões na economia local

O novo residencial totaliza R$ 22,5 milhões de investimentos já que contempla também a instalação da infraestrutura completa do bairro. As famílias que receberão as casas na localidade são as que já passam pelo processo de triagem da lista dos profissionais da Habitação. A direção do setor envia para aprovação dos nomes à Caixa com aproximadamente 40% do Residencial construído, já que com a ideia de quando ele terminará o banco consegue fornecer aprovação em tempo hábil para que no ato da entrega toda a burocracia já esteja ultrapassada e os beneficiados definidos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.