Delegado de polícia Henrique de Freitas Meneguelo. Arquivo AGORA MT

A Câmara dos Deputados aprovou esta semana a lei que prevê punições para os crimes cibernético, por ser tratar de um tipo de crime relativamente novo, se comparado a outros delitos, a legislação e investigação sobre a prática tem avançado.

O delegado de polícia Henrique de Freitas Meneguelo ressaltou que vários crimes podem ser cometidos por meios eletrônicos, como por exemplo, o crime de ameaça, injúria, calúnia, difamação, contra a propriedade intelectual, charlatanismo, furto mediante fraude, inserção de dados falsos em sistema de informação, modificação não autorizada em sistema de informações, dano, divulgação de segredo, apologia de crime ou criminoso, produção, armazenamento ou publicação de imagens pornográficas envolvendo criança ou adolescente, dentre outros crimes.

Leia também:  Dupla invade residência, rouba motocicleta e depois a abandona com a chave na ignição

Contudo Meneguelo afirma que qualquer crime praticado pela internet deixa rastros e se forem adequadamente apurados com certeza serão identificados e sofrerão uma punição. Apesar do Estado não possuir uma Delegacia de Polícia especializada na investigação desse tipo de crime, existem ferramentas e órgãos de apoio que auxiliam nas investigações deste tipo de crime, em Rondonópolis há o suporte do Núcleo de Inteligência que é um braço da Delegacia Regional e oferece apoio nas interceptações telefônicas e de computadores.

Precauções

Meneguelo sugere no caso de compras pela internet que as pessoas procurem empresas confiáveis e conhecidas, para que tenha garantia de receber o produto solicitado.

Outra sugestão é não acessar e-mails supostamente do SERASA, da Justiça Eleitoral, da Polícia, resultados de sorteios ou encaminhando supostas fotos, que na verdade contem links para sites com arquivos executáveis, que podem contaminar o computador e proporcionar problemas para as vítimas.

Leia também:  Motorista se joga debaixo de carreta estacionada para não ser atropelado na Dom Wunibaldo

O delegado orienta também que os pais mantenham diálogo constante com os filhos e também lhes monitore para saber o que estão fazendo na internet. “Os pais devem sempre orientar seus filhos sobre o perigo a que são submetidos quando utilizam computadores, principalmente com relação às pessoas que elas se comunicam”, sugeriu Meneguelo que observou a existência de diversos programas que permitem o monitoramento e o controle de conteúdos acessados na internet.

Meneguelo reforça que os usuários de computadores devem ter consciência da importância de se protegerem de ameaças e que mantenham o sistema operacional e o antivírus sempre atualizados, pois atualmente existem mais de 630.000 vírus conhecidos que podem causar graves prejuízos para as vítimas.

Leia também:  Irmãs são presas por golpe e polícia recupera motocicleta roubada em Rondonópolis
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.