O XXIX Encontro de Prefeitos e XI Encontro de Gestores Sociais e Primeiras Damas realizado entre os dias 9 e 11 de maio, na capital Cuiabá, traz esperança para o segmento da cultura. Essa é a opinião dos representantes de Rondonópolis, Maximiliano Ferraz (Presidente do Conselho Municipal de Cultura), Sandra Turcato (Gerente do Departamento de Cultura) e Lucinete Rodrigues (Gerente de Eventos Culturais). O grupo participou de três palestras no último dia 11.

No evento, foram abordados temas como a estruturação do Sistema Nacional de Cultura, com a consultora da Unesco, na oportunidade representando os estados de Mato Grosso – MT e Mato Grosso do Sul – MS, Cleide Vilela; e os Caminhos para a Construção do Plano Estadual de Cultura, com Rômulo Fraga, consultor do Núcleo de Apoio Executivo do Plano Estadual de Cultura.

Leia também:  Procon fiscaliza Postos de Combustíveis em Rondonópolis

Depois da assinatura do acordo com o Sistema Nacional de Cultura – SNC, no último dia 4 de maio, Rondonópolis está incluída no Fundo Nacional de Cultura e vai ser beneficiada com parte dos 40%, de um total de R$256 milhões, destinados aos estados e municípios para apoiar o desenvolvimento de projetos e ações culturais.

“Esperamos que haja a democratização e a descentralização dos recursos para que possamos crescer de forma profissional. Sabemos das nossas dificuldades e necessidades e o recurso vai contemplar também a qualificação desses artistas”, disse Sandra.

O próximo passo é aguardar a agenda elaborada pelo Núcleo de Apoio Executivo do Plano Estadual de Cultura e promover conferência com a participação de artistas locais e sociedade civil. A proposta é apresentar ao público as normas para a utilização dos recursos. “Isso é um trabalho em conjunto. Vamos criar o órgão gestor e começar a expansão da cultura e da arte rondonopolitana”, explica a gerente de Eventos Culturais, Lucinete Rodrigues.

Leia também:  Avroc realiza hoje feijoada beneficente

Na opinião do presidente do Conselho Municipal de Cultura, Maximiliano Ferraz, a ação tem como meta também fazer com que o Ministério da Cultura conheça as diversidades artísticas e culturais que cada município tem. “Isso é uma ação na cadeia produtiva. Quem faz, quem produz cultura vai ser efetivamente beneficiado”, completa.

CADASTRO

Sandra lembra que os artistas e artesãos que ainda trabalham na informalidade procurem a sede da Secretaria para se cadastrarem. Segundo ela, esta é uma forma de eles serem reconhecidos profissionalmente. Interessados procurar a sede da Secretaria localizada no prédio da Biblioteca Municipal Rachid J. Mamed, esquina da rua João Pessoa com a avenida Cuiabá, ou pelo telefone 3411-5324.

Leia também:  Rondonópolis e outros seis municípios correm o risco de perder zona eleitoral
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.