O Rio Negro alcançou hoje (16/05) o maior nível já registrado na história: 29,79 metros. A medição está dois centímetros acima da verificada na cheia de 2009, até então considerada a mais intensa.

Ao todo, 49 dos 62 municípios do Amazonas estão em situação de emergência. Pelo menos 75 mil famílias já foram atingidas pelas inundações em todo o estado.

“A situação é catastrófica. Quando chove é esse corre-corre danado. É um vexame, todo mundo se apavorando. Para meu maior inimigo eu não desejo [passar por isso]”, diz Maria das Graças, moradora do bairro São Jorge, na periferia de Manaus.

Segundo dados da prefeitura, mais de 18 mil pessoas foram atingidas em 11 bairros da capital amazonense: São Raimundo, Presidente Vargas (Matinha e Bariti), Glória, São Geraldo, São Jorge, Aparecida, Educandos, Betânia, Raiz, Morro da Liberdade e centro.

Leia também:  PF investiga organização suspeita de fraudar seguro-desemprego e FGTS

“Cada vez que chove aumenta a água. E não é normal, apesar de morarmos em uma área que alaga. Mas a gente não esperava que fosse ficar desse jeito ”, disse Lorraine Gabriele, moradora do Bariri.

As águas chegam aos bairros por meio dos córregos e igarapés, espalhados por Manaus. Junto com a água, há muito lixo e esgoto, o que prejudica principalmente as crianças, que reclamam de dor de cabeça, vômito e diarreia.

A prefeitura e a Defesa Civil têm promovido ações como a retirada de lixo dos igarapés, a construção de passarelas e a distribuição de água potável e cestas básicas.

Segundo o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), a situação pode ainda piorar, já que a estimativa é que o nível do Rio Negro ultrapasse os 30 metros.

Leia também:  Manifestações continuam e segurança é reforçada em DF
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.