Diretores de 15 escolas estaduais de Rondonópolis estiveram reunidos nesta sexta-feira (22), juntamente com o diretor geral do Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis (Sanear) para discutir a questão das contas de água dos colégios estaduais da cidade.

De acordo com a diretora da escola Carlos Pereira Barbosa, Genoefa Rezende do Carmo, o valor da tarifa cobrada pela água tem vindo bastante cara em diversas escolas. “Queremos uma explicação para isso, porque, mesmo quando fazemos economia, a conta continua vindo cada vez mais alta”, disse.

Para ela, a maior dificuldade dos diretores é fazer o acompanhamento da leitura de água. “Nós nunca sabemos quando o responsável pela leitura vai chegar, e muitas vezes ele chega, não nos avisa e precisamos ter o controle disso até para sabermos se a leitura está sendo correta”, relatou.

Leia também:  Habilitação da UPA é divulgada no Diário Oficial da União

A diretora da escola Eurico Leocardio da Rosa, Eulália Vieira de Melo, ressaltou que como as contas tem vindo muito altas, fica difícil investir no ensino pedagógico. “Acaba que temos de gastar todo o dinheiro pagando as contas”, explicou.

Segundo o supervisor comercial Eurípedes Batista de Paiva, é difícil controlar os gastos em locais públicos e fazer uma média como se faz em casa, já que são muitos alunos e nem todos tem a cultura de economizar água. “Tudo depende do consumo dos estudantes. Por exemplo, alguns deixam a torneira dos banheiros abertas e os zeladores às vezes demoram a ver, ou vão ao banheiro constantemente, o que acaba gastando mais água. Isso faz com que o consumo seja maior e a conta venha mais cara”, afirmou.

Leia também:  Ecopontos viram lixões e moradores reclamam do descaso no Sagrada Família

Eurípedes disse ainda que podem haver outros problemas, como possíveis vazamentos ou mesmo ajustes que devem ser feitos nos cavaletes. Por isso, o diretor geral do Sanear, Jean Carlos Lopes Lino, pediu que cada diretor elabore um ofício que deve ser entregue ao Sanear para que seja feita uma vistoria em cada uma das escolas. Além disso, também vai ser solicitado um profissional do Sanear para ficar responsável somente pela leitura de água das escolas estaduais, a fim de facilitar o controle dos diretores quanto a realização das leituras mensais.

Os diretores se prontificaram e fazer o requerimento e devem, nos próximos dias, entrar em contato com a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) para solicitar um valor diferenciado para a tarifa das escolas, para que a verba que as instituições recebem possa ser investida em educação.

Leia também:  ACIR marca presença na Feira do Empreendedor
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.