Foto: site do SALAKA

Tudo começou quando os presidentes dos clubes amadores da cidade se reuniram para traçar os destinos do Campeonato Amador de 1973. O presidente da Liga na época Humberto Moussalém queria fazer alterações no regulamento que viria a beneficiar seu clube o “Batidinha”. Houve desentendimento e até troca de sopapos e foi parar tudo na capital. Na noite de 06 de Junho de 1973, as duas da madrugada, Agripino Bonilha Filho foi acordado. Ele recebeu os presidentes dos clubes amadores (Valdir Cuiabano, Adelson Francisco de Souza, José Soares de Amorim, Lamartine da Nóbrega, em sua casa na Travessa João Bento, em Cuiabá, quando atônitos os vizinhos assustados com a movimentação chamaram a polícia. Os policiais chegaram, constataram o acontecimento foram embora e a reunião começou, quando os dirigentes expuseram o que estava acontecendo. Eles queriam intervenção na Liga. Bonilha, disse não estar preocupado com o futebol amador, mas se quisessem poderia contar com ele para a formação de um clube de futebol profissional em Rondonópolis.

Leia também:  Judoca brasileira vence adversária com 11 segundos e se torna a bicampeã mundial

A primeira diretoria, as cores e o nome do clube surgiram durante a viagem de volta a Rondonópolis. União Esporte Clube, este foi o nome escolhido. As cores também: Azul, Amarelo, Vermelho e Branco. Azul(Olaria). Amarelo do (Paraibana), Vermelho (Comercial) e Branco (Vila Aurora). Era a hora de fazer o estatuto do clube, o jeito foi emprestar o do Dom Bosco. Foi feito também a ata de fundação. Ainda no dia 06 de junho (a noite) na Associação Bancaria Rodonina (ABR), os fundadores do União E.C, assinaram a ata de fundação. A estréia do União E.C, como time profissional se deu contra o Mixto, no dia 13 de Julho de 1973 no Estádio Presidente Dutra, e perdeu por 9 a 1, um desastre inicial que levou a diretoria a demitir ainda no vestiário o técnico Índio e alguns jogadores.

Leia também:  União joga domingo diante do Sinop no Luthero Lopes

Investimentos foram feitos e já em 1975 o União conquistava o Torneio incentivo da extinta CBD. Em 1976 foi Bi e em 1979 foi Tri. Ainda em 1975, o União conquistava um turno do campeonato Mato-grossense, num jogo dramático contra o Ubiratan de Dourados, no Luthero Lopes exatamente no dia 17 de Setembro de 75, gol aos 46 minutos do 2º tempo feito por Gilson Lira. Com estrutura e planejamento hoje o União é tido como uma das maiores forças do futebol de Mato Grosso, e a maior força do futebol do interior do estado.

Nunca deixou de participar de uma só competição organizada pela FMF, conquistou onze vices estaduais, mas título mesmo só os dos torneios incentivos e um Estadual em 2010 quando não mais suportava a “zuação” e levantou o caneco. As últimas diretorias já deram ao clube um moderno CT e um ponto de encontro do torcedor.  O servidor aposentado da Receita Federal, Lamartine da Nóbrega, nem imaginava que há 39 anos ele seria apontado como o principal responsável pela bela história do União. Foi nos fundos da casa dele, naquela época na avenida Poxoréu esquina com a Cuiabá, que surgiram as conversas para a formação do primeiro clube profissional de Rondonópolis. Nascia ali o União Esporte Clube. Depois das conversas, no dia 6 de junho de 1973, o “Glorioso” foi oficializado.

Leia também:  MT fatura ouro e prata na luta olímpica dos Jogos Escolares
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.