Com a proposta de se adequar às exigências da Vigilância Sanitária e proporcionar mais segurança na assistência, o Hospital Regional de Rondonópolis concluiu o Abrigo de Resíduos, local destinado ao descarte correto do lixo hospitalar que neutraliza os agentes nocivos à saúde humana e ao meio ambiente melhorando o gerenciamento dos resíduos produzidos.

No abrigo, os agentes de riscos físicos, químicos e biológicos são descartados de forma segura por reduzir a carga microbiana. O Abrigo é mais uma das ações previstas no Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde, PGRSS, do HRR. “Os resíduos permanecem em local específico de forma segregada e armazenada até o seu recolhimento. O processo impede contaminações”, afirma o diretor de apoio, Geovani Freitas.

Leia também:  Profissionais de saúde estão mais de 100 dias sem receber salário do governo

Além dos resíduos comuns, instituições de saúde produzem lixos contaminados, tóxicos e perfurocortantes que necessitam de um gerenciamento diferenciado. Todo o projeto do local segue a Resolução n° 358/2005 e a RDC 306/2004  que dispõe sobre o tratamento, disposição final dos resíduos e regulamento técnico para o gerenciamento de resíduos de serviço de saúde.

“Nossa proposta é definir metodologias e ações que garantam a preservação da saúde física dos colaboradores e pacientes mediante os riscos a que estão expostos dentro do local de trabalho e internação para preservar a integridade e saúde de todos”, finaliza do diretor administrativo, Wagner Dias.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.