Por meio do Departamento de Ações Programáticas, a equipe da Secretaria de Saúde de Rondonópolis, convoca os diretores das redes municipal, estadual e particular de ensino. O objetivo é reforçar a campanha contra a introdução da esquistossomose na cidade, e que afeta estudantes entre 7 e 14 anos. A doença é uma infecção causada por vermes parasitas, quando os ovos atingem ao fígado ou passam para o intestino ou bexiga, causando inflamação ou cicatrizes.

A meta da pesquisa é atingir toda a população estudantil com exames de coleta de fezes e urina e verificar se há casos dessa infecção no município. A proposta dos profissionais, que já encaminharam solicitação para todas as unidades de educação, é que os diretores e coordenadores incentivem os pais dos alunos e com isso evitar a doença.

Leia também:  Detran Rondonópolis atende de forma reduzida motoristas com CNH próximo ao vencimento

A coleta do material, autorizado pelo Ministério da Saúde, deve ser feita na própria escola pela equipe da Secretaria de Saúde.

Mais informações pelo telefone 3410-0213.

Contaminação

A infecção ocorre quando a pele entra em contato com água contaminada na qual vivem certos tipos de caracóis que carregam a esquistossomose. A água fica contaminada pelos ovos da Schistosoma quando pessoas infectadas urinam ou defecam nela. Os ovos eclodem e, se certos tipos de caracóis estiverem presentes na água, o parasita cresce e se desenvolve dentro deles.

Sintomas da esquistossomose

Dentro de dias depois de infectada, a pessoa pode desenvolver erupções e coceira na pele. Febre, calafrios, tosse e dor muscular podem começar dentro de 1 a 2 meses depois da infecção. A maioria das pessoas não apresenta sintomas na fase inicial da infecção. Os ovos viajam ao fígado ou passam para o intestino ou bexiga, causando inflamação ou cicatrizes.

Leia também:  Bombeiros registram quase 400 casos de incêndios em Rondonópolis

Perigos

Crianças que são infectas podem desenvolver anemia, subnutrição e dificuldades de aprendizado. Depois de anos de infecção o parasita pode danificar o fígado, intestinos, pulmões e bexiga. Em raras ocasiões os ovos podem ser achados no cérebro ou cordão espinhal e causar convulsão, paralisia ou inflamação do cordão espinhal.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.