A Frente Nacional da Pecuária (Fenapec) realizou nesta segunda-feira (09), em Cuiabá, o 2º Encontro Nacional da Pecuária de Corte, com o tema Construindo a Agenda Positiva da Carne. O objetivo do encontro foi coletar informações e criar um espaço para o debate da pecuária nacional a fim de trazer melhorias para o setor.

O encontro que reuniu representantes da cadeia produtiva da carne, pecuaristas, donos de frigoríficos e representantes do setor varejista que apresentaram as dificuldades e as demandas do comércio de carne, discutindo ainda a consolidação do mercado brasileiro e a regulamentação e métrica de acompanhamento do abate.

De acordo com o presidente da Associação de Criadores de Mato Grosso (Acrimat), José João Bernardes, o importante neste momento é definir as prioridades e apresentar as demandas aos órgãos que possam efetivamente colaborar para a solução destes problemas.

Leia também:  Muniz diz que prefeito não amadureceu politicamente e administrativamente devido à postura sobre a Santa Casa

Entre as dificuldades apontadas estão à incidência de impostos sobre a pecuária e o comércio com a tributação da cadeia produtiva, o PIS e Cofins no varejo e as alíquotas sobre o ICMS estadual que são os principais responsáveis pelo comprometimento da renda.

O representante da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Alexandre Seabra, ressaltou que no final de 2009 os pecuaristas e frigoríficos foram isentos da taxa de PIS e COFINS e que isso onerou a ponta da cadeia que teve um aumento de custos de 7 a 8%, revelando ainda que neste mesmo período o abate clandestino teve um aumento de 40% no País.

Outros destaques do encontro ficaram por conta da nova realidade do mercado com a necessidade da realização de novas estratégias para o segmento e a organização do setor.

Leia também:  Em meio à crise nos estados, Mato Grosso consegue pagar servidores e serviços

O pecuarista Luciomar Machado de Pontes e Lacerda afirmou que o setor precisa se modernizar e trabalhar com novas tecnologias diminuindo a distância entre produtores e frigoríficos, apresentando ainda propostas concretas como maior transparência no peso, definição de um padrão de carcaça e parcerias mais abrangentes.

O deputado federal Wellington Fagundes comentou que a discussão é de extrema importância para o desenvolvimento do país e que estará junto da bancada federal para levar o assunto ao Congresso Nacional.

O 1º Encontro foi realizado em Campo Grande e serviu ao propósito de colocar o assunto na agenda política e econômica do País. Já o 3º encontro está agendado para agosto na cidade de Presidente Prudente interior de São Paulo e deverá trazer os custos de produção do setor.

Leia também:  Janot recusa transmitir cargo para sua sucessora Raquel Dodge
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.