Com a proximidade do fim da colheita do milho os produtores começam os preparativos para a safra 2012/13. O primeiro passo é a correção do solo através da aplicação de calcário. Essa operação deve ser feita com antecedência mínima de 60 dias, dependendo do poder de reação de cada calcário. O preço médio do calcário, acrescido do frete, aumentou 29% em um ano, saindo de R$ 39,03/t em julho de 2011 para R$ 66,33/t em junho de 2012.

No entanto, a elevação dos preços foi norteada principalmente pelo aumento do preço do insumo, que subiu cerca de 49,0% no Estado, sendo que nos municípios Jangada e Cáceres o aumento foi de 63% e 60% respectivamente. Já o frete para carregar o calcário aumentou em média 12,0%. No trecho entre Cáceres e Pontes e Lacerda, o incremento foi de 43%, porém em alguns destinos o custo do frete foi menor que o do ano anterior.

Leia também:  Crise provocou desemprego maior entre os negros

Saindo de Nobres para Diamantino, Primavera do Leste e Rondonópolis, o preço do frete baixou 20%, 5% e 8%, respectivamente. Mesmo com a nova lei o frete do corretivo não será prejudicado diretamente, pois as distâncias são relativamente pequenas quando comparadas a outras atividades da cadeia produtiva. Porém, o aumento previsto para o preço do diesel pode se encarregar da alta do frete nos próximos meses.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.