Renovando um documento meu dia atrás, sai do órgão público absolutamente pasmado, com a falta de respeito e com o abuso de autoridade que os funcionários do setor tratam a todos nós, usuários! Neste momento fiquei pensando sobre o quanto as pessoas desconhecem as normas de precedência (quem vem antes, quem é mais importante, quem deve ser reverenciado, etc.). Naquele caso específico é claro que a primazia é nossa, ou seja, dos contribuintes que possibilitam que eles, funcionários, recebam seus salários.

Se estivéssemos falando de uma empresa privada, isso seria (ou deveria estar) bastante claro aos olhos dos funcionários: a primazia é do cliente. E empresa que ainda não pensa assim, e instrui seus funcionários a agir de outra forma, estará fadada à falência antes mesmo de seus balanços contábeis começaram a acusar algo errado!

Leia também:  Incidência de linfoma em mulheres com silicone é a mesma das que não têm

Na empresa, internamente falando, a primazia é do hierarquicamente superior, ou seja, quando você e seu diretor estiverem juntos e lhes for oferecido um café, demonstre que você entende das coisas e deixe-o servir primeiro (ainda que você seja uma mulher e ele, o diretor, um homem).

A vida social de todos nós, a mulher precede o homem, o amigo vai ter primazia sobre um parente e passando por cima de todas essas regras, está na hora do mais velho ter a primazia sobre todos os mais novos. Sempre!

Em sua empresa, ao receber uma visita, a primazia é da visita. Num curso, em horário de intervalo, seja polida, educação e dê a preferência ao seu instrutor para que se sirva primeiro afinal, ali, ele é a autoridade a quem você veio assistir.

Leia também:  De borboleta e lagarta

Em países asiáticos, essas regras são estritamente seguidas, na vida militar, a mesma coisa. E dificilmente assiste-se às pessoas que extrapolam seus limites, há pessoas que confundem liberdade com excesso de liberdade, há pessoas que confundem autoridade com o abuso e o desmando que a autoridade em mão despreparada usualmente causa!

Se você é, de fato preocupado com sua imagem, preocupe-se muito com esse item particular da conduta: as pessoas que hoje seguem essas normas são pessoas que, seguramente se sobressaem às demais e conseguem ponto positivo com relação à suas próprias imagens pessoais.

Pense nisso!

Reinaldo do Carmo de Souza

Professor da Universidade de Cuiabá pelo Programa de Expansão Universitário – PEU

Leia também:  Luto e luta: todas as vidas nos importam
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.