Arquivo pessoal professor João Antônio Pereira

O professor de história, João Antônio Pereira, da Escola Estadual Maria de Lourdes Ribeiro Fragelli, de Guiratinga, foi um dos 40 premiados na 6ª edição do Prêmio Professores do Brasil – realizado pelo Ministério da Educação (MEC), em Brasília. Há 22 anos lecionando na rede pública estadual o professor obteve a premiação na categoria Tema Livre, subcategoria Ensino Médio, com o desenvolvimento do projeto “Memórias da Vida em Vida: Inovar é preciso”. O tema foi constituído a partir das experiências do ex-trabalhador de plantações de cana e ex-militar, no tocante a articulação necessária para o enfretamento das adversidades cotidianas.

A ação pedagógica empregou o uso das novas mídias (internet, celulares, tablet´s, bloggers) para estimular o processo de ensino-aprendizagem e envolveu as distintas áreas do conhecimento. A elaboração da proposta considerou que 90% dos estudantes possuíam celulares, sendo que 70% os utilizavam em sala de aula.

O projeto integra uma pesquisa com mais de 200 personagens históricos da região, a criação de 200 bloggers, a edição, montagem de três jornais, além de uma série de documentários oriundos das visitações em sítios arqueológicos da região, a coleta coletiva e individual dos depoimentos dos personagens. A prática exitosa resultou do Ministério da Educação (MEC) os direitos autorais da ação pedagógica pelo período de 25 anos.

Leia também:  Captação de leite registra queda de 10,3% em MT

“A proposta poderá ser replicada nacionalmente e também fora do país. Vale a pena sonhar, minha experiência de vida comprova. A batalha ainda é muito grande pela conquista de uma educação em período integral, por uma escola nova. Fui sargento do Exército Brasileiro, sou professor de escola pública e depois de trinta anos de serviços prestados à nação ainda me deparo na sala de aula com as mesmas circunstâncias que vivi quando criança, agora com uma nova roupagem. O cenário é diferente, mas os problemas são os mesmos”, avalia.

Em janeiro de 2013, todos os 40 premiados poderão produzir um vídeo com a duração de dois minutos sobre o projeto pedagógico desenvolvido. Caberá ao público, por meio de uma página no Facebook, escolher a ação mais interessante e essa receberá uma nova premiação do MEC. Na 6ª edição do Prêmio Professores do Brasil inscreveram-se um total de 2.609 profissionais.

Leia também:  Prouni abre inscrição para 77 mil bolsas em universidades privadas nesta segunda

Motivação

Paralelamente ao desenvolvimento do projeto o professor explica que foi realizado um diagnóstico junto aos alunos atendidos pelo Ensino Médio Inovador (matriculados no período vespertino) que apresentavam um rendimento escolar insatisfatório.

“Era preciso saber o motivo do desinteresse e acabamos constatando que o transporte escolar, a dificuldade de acesso, o cansaço e a fome após viagens de 120 km para que pudessem chegar à escola, além do desajuste familiar interferiam no processo. Decidimos fazer o caminho inverso, ir até a residência deles e sentir de perto as condições adversas que estavam intimamente ligadas ao fracasso escolar e a partir de então passamos a adotar metodologias adequadas ao quadro em questão”.

Ele ainda ressaltou que “os alunos se portaram como atores principais e os professores como facilitadores na produção do conhecimento, muitas das sugestões apontadas por eles foram colocadas no Projeto Político Pedagógico e transformadas em ações com financiamento do próprio MEC”. Ele destaca as viagens de campo ao ‘Morro da Arnica’, local em que ocorreu um sangrento episódio na luta pelo controle do diamante na década de 1920 e ao Sítio Arqueológico “Abrigo do Garças” nas margens do Rio das Garças, como sendo intervenções propostas pelos estudantes e que apresentaram um excelente rendimento no desenvolvimento escolar.

Leia também:  MEIs poderão emitir nota fiscal eletrônica a partir de setembro

O professor finaliza avaliando que a “a experiência realizada extrapolou os objetivos propostos e envolveu diversos segmentos da comunidade escolar; cada encontro na Sala do Educador servia para avaliar as ações de forma coletivas e lançar novas estratégias a resolução dos problemas”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.