Será celebrada, nesta sexta-feira, na Paróquia da Ressurreição, em Ipanema, Zona Sul do Rio, uma missa para lembrar os 20 anos da morte da atriz Daniella Perez. Filha da autora Glória Perez – que assina a novela “Salve Jorge” -, ela foi morta com 18 golpes de tesoura aos 22 anos. O crime aconteceu em 28 de dezembro de 1992, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, depois de Daniella deixar os estúdios da TV Globo, onde gravara cenas da novela “De Corpo e Alma”. Ela interpretava Yasmin na trama escrita por sua mãe.

Os assassinos foram o colega de elenco de Daniella, Guilherme Pádua – que fazia Bira, personagem apaixonado por Yasmin – e a mulher dele à época, Paula Thomaz. Guilherme e Paula confessaram o crime. Em 1997, ele foi condenado a 19 anos de prisão. Já Paula foi condenada a 18 anos e meio por sua participação no assassinato.
O casal cumpriu parte da pena e ambos foram beneficiados por indulto por bom comportamento. Hoje não têm sequer antecedentes criminais. No dia do crime, a frieza de Guilherme chamou a atenção: ele chegou a consolar Glória Perez. Chorando, deu os pêsames e abraçou a autora. No início deste mês, Guilherme deu uma entrevista à TV Record e causou indignação em Glória e em parentes de Daniella.
Advertisements
Leia também:  Alunos da rede municipal recebem vacinas contra HPV e meningite em MS

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.