Preso em Mato Grosso do Sul, João Arcanjo Ribeiro vem para Cuiabá na próxima segunda-feira (18), data marcada para retomada das audiências dos 15 processos por suposta improbidade administrativa em que ele é réu.

Arcanjo teria utilizado sua factoring para lavar dinheiro supostamente desviado da Assembleia Legislativa.

Em 26 de novembro do ano passado, o Comendador Arcanjo passou o dia na cidade acompanhando o depoimento de seis testemunhas de acusação. Dessa vez serão ouvidas as testemunhas de defesa. As audiências ocorrem no Fórum da capital.

Entenda – Durante a Operação Arca de Noé, deflagrada em 2002 para combater o crime organizado no Estado, foi constatado que os documentos de identidade dos sócios de algumas empresas eram falsos. Além disso, as tais empresas não estavam legalizadas junto à Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) e outros órgãos públicos.

Leia também:  Febre Chikungunya aumenta 116% neste ano em Mato Grosso

Conforme a denúncia do MP, 21 desses 43 cheques foram trocados na boca do caixa e alguns dos sacadores seriam assessores de parlamentares. Parte desses cheques também teria sido trocada nas factorings de João Arcanjo Ribeiro, como garantia de dívidas de campanha.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.