O valor da pluma teve valorização de 17% em Campo Verde, saindo de R$ 49 a arroba no início de janeiro e atingindo R$ 57,2 a arroba no primeiro dia de fevereiro. Esses patamares de preços não eram vistos desde setembro de 2011, segundo o novo boletim do Instituto Mato-grossense de Economia Aplicada (Imea). Porém, a sustentação dos valores atuais dependerá da demanda nacional pela fibra.

Dados da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), apontam que o crescimento das indústrias é previsto em somente 2% para 2013. Conforme o boletim, em janeiro, o mercado interno mostrou-se ativo nas compras da pluma mato-grossense, consumindo cerca de 82% dos volumes registrados na Bolsa Brasileira de Mercadorias (BBM) para a safra 2011/12, foram 18 mil toneladas para a indústria brasileira e apenas 4 mil toneladas para exportação.

Leia também:  Santa Terezinha | Ex-prefeito não paga conta de energia e MPE pede bloqueio de bens

Outra incerteza, que pode influenciar os preços do algodão, é a oferta na temporada 2012/13. Isso porque os produtores de Mato Grosso ainda se encontram incertos quanto à área de 2ª safra, pois as chuvas pesadas, que devem continuar até a segunda semana de fevereiro, dificultam o plantio. Apenas 74% dos 464 mil hectares estimados para esta safra foram semeados até esta semana, um atraso de 15 pontos percentuais em relação ao ano passado.

Pluma
As aquisições pelas indústrias seguem aquecidas em Mato Grosso, no entanto, o preço cresceu de forma tímida na semana passada. O ganho foi de apenas 0,7%, o que mostra estabilidade. Nas próximas semanas, a  perspectiva do preço ainda é positiva, porém não ultrapassando R$ 60/@ devido aos estoques de pluma ainda altos e sua demanda incerta.

Leia também:  Emprego temporário de fim de ano é oportunidade de contrato definitivo

Caroço
Os estoques já estão finalizados em grande parte das algodoeiras. Porém, a demanda principalmente no Nordeste do país estimula ainda o aumento nas cotações em todo Estado. Na semana passada, o ganho foi de 9% no sudeste e 2% no oeste de Mato Grosso, fechando em R$ 600/toneladas em Pedra Preta e, R$ 490 toneladas em Sapezal.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.