Um dia após derrotar o Vitória de virada por 2 a 1, o técnico do Mixto, Cláudio Adão, já foi tratando de conter a euforia do elenco de jogadores. Com bagagem de ter defendido 27 times diferentes e ter marcado 862 gols na carreira, ele fez questão de ressaltar na reapresentação do grupo, ontem à tarde, que o Alvinegro da Vargas ainda não ganhou nada e há outro desafio pela frente: a fase semifinal do Mato-grossense diante do Luverdense na melhor de dois jogos.

Neste sábado à noite, a equipe disputa o primeiro jogo da penúltima fase do Estadual no estádio Dutrinha. “É preciso os atletas colocarem os pês no chão. Foi muito bom e gostoso ter vencido o Vitória. Mas temos outros compromissos como o Luverdense pela semifinal do campeonato. O resultado é motivador, mas é preciso ter concentração para conciliar as duas competições que ocorrem de forma simultânea”, afirmou Cláudio Adão, que quer extrair o máximo de seus comandados a alegria e dedicação quando da vitória sobre o time baiano.

Leia também:  Luverdense fica no empate com o Paraná

“Quero tirar coisas boas da vitória de quarta-feira. Mas nada de empolgação, do clima de que já ganhou”, enfatizou, tentando tirar qualquer tipo de euforia que tomou conta da torcida para o jogo deste sábado em casa pelo torneio caseiro.

Ainda na última quarta-feira, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) transferiu o jogo de volta entre Vitória e Mixto, da próxima quarta-feira, dia 17, para um dia antes, terça, dia 16, em Salvador. Com a alteração na data, o time terá apenas dois dias de descanso de um duelo ao outro.

Diante do curto tempo de espaço, Cláudio Adão procurou a diretoria mixtense para solicitar que o jogo de ida da semifinal contra o Luverdense fosse adiado para uma nova data. No entendimento do treinador como os dois times estão na Copa do Brasil, a Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) poderia agendar o confronto pelo torneio caseiro mais para frente.

Leia também:  Diretoria do União usa Facebook para homenagear Gilson Lira

“Ao meu ver cabe um entendimento entre os dois clubes e a federação. É importante olharmos a Copa do Brasil com muita atenção. É um torneio nacional que dá visibilidade para os clubes de médio porte. O Estadual é importante, mas o tempo de descanso é pequeno, pois temos que viajar, descansar e ir para o jogo”, frisou o comandante alvinegro.

Para a primeira partida da semifinal, o Mixto tem vários problemas para mandar o que considera força máxima a campo. Além do atacante Felipe Adão que foi vetado momentos antes do jogo contra o Vitória, o atacante Marclei, lateral esquerdo Jorginho e o zagueiro Kal preocupam. Todos eles estão se queixando de dores musculares.

A situação que mais preocupa a comissão técnica é Jorginho, hoje um dos principais jogadores do Mixto. O jogador reclamou de lesão muscular após a vitória contra os baianos. Se não reunir condição de entrar em campo amanhã, Cláudio Adão será obrigado a encontrar um substituto no time sub-18 do clube. “Não tenho peça de reposição a altura de quem está saindo. Se o Jorginho não jogar, vou ter que recorrer a um garoto, que não deve estar preparado para este tipo de jogo”, complementou.

Leia também:  Diretoria do União deve apresentar equipe dia 14

Para a defesa no lugar de Kal, que deixou o jogo antes do fim, tem Odail Júnior, autor do gol que deu a vitória nos minutos finais da partida de quarta-feira. O jogador entrou bem no jogo e não se comprometeu, mesmo parado há mais de seis meses.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.