O presidente Barack Obama prometeu nesta terça-feira (30) renovar seus esforços para fechar a prisão militar de Guantánamo (Cuba), onde cerca de cem presos suspeitos de atividades terroristas realizam uma greve de fome.

Obama disse em uma coletiva de imprensa na Casa Branca que não quer que nenhum prisioneiro morra e convocou o Congresso a ajudá-lo a encontrar uma saída legal no longo prazo ao problema de julgar combatentes inimigos.

“Não é uma surpresa para mim que tenhamos problemas em Guantánamo (…) Continuo acreditando que devemos fechar Guantánamo. É importante entender que Guantánamo não é necessário para a segurança dos Estados Unidos. Custa caro, é ineficaz”, acrescentou o presidente, segundo a France Presse.

Leia também:  Marinha resgata elefante em alto-mar após 12 horas de operação

De acordo com a Reuters, Obama não conseguiu ir adiante em sua promessa de fechar a prisão criticada internacionalmente que funciona numa base militar dos EUA em Cuba. O presídio foi aberto por seu antecessor George W. Bush para abrigar estrangeiros suspeitos de terrorismo.
Guantánamo atraiu nova atenção recentemente em meio a uma greve de fome feita por muitos dos prisioneiros, dos quais alguns estão sendo alimentados à força.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.