Além do cansaço para quem empurra, a tentativa pode danificar peças do automóvel-Foto:Reprodução/Internet
Além do cansaço para quem empurra, a tentativa pode danificar peças do automóvel-Foto:Reprodução/Internet

Seja pela bateria morta ou por problemas no motor de partida, quando o carro não vira a chave logo alguém aparece com aquela ideia: “vamos empurrar para fazer pegar no tranco”. Além do cansaço para quem empurra, a tentativa pode danificar peças do automóvel. Não tente. Se o carro não der a partida, chame uma empresa especializada ou leve-o rebocado a uma oficina.

Fazer o motor pegar no tranco pode gerar algumas consequências graves ao veículo, observa Pedro Scopino, consultor técnico e diretor do Sindirepa, o Sindicado dos Mecânicos de São Paulo. “Pode quebrar a correia dentada, pois forçará um giro com mais intensidade do motor podendo romper seu material, que é de borracha. Também pode ocorrer uma injeção maior de combustível, o que pode danificar o catalisador”, diz.

Leia também:  Cáritas Diocesana realiza projeto: 75 anos em defesa da vida

Se o motor não pegar no tranco, observa o especialista, pode haver tensão nos circuitos eletrônicos do veículo. Tudo isso pode acontecer, mas seu carro pode passar ileso pela tentativa. Portanto, se o tranco funcionou uma vez e nada aconteceu, você teve sorte, não tente novamente. Qualquer uma das peças que estragar nos casos citados acima certamente saíra mais caro do que levar o automóvel a uma oficina.

A tática de empurrar para pegar era mais comum antigamente nos carros com carburador. Agora há menos tentativas, especialmente porque há muitos veículos com câmbio automático, ou seja, sem embreagem.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.