Quinto colocado no GP da Hungria deste domingo, Fernando Alonso escapou de uma punição pelo uso irregular da asa móvel (DRS). O espanhol foi investigado por ter ativado o sistema em três ocasiões diferentes com uma diferença maior do que 1s do carro da frente, o que não é permitido por regulamento. Após identificar o problema, o delegado técnico da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) levou o assunto aos comissários. A direção de prova analisou os dados eletrônicos, ouviu o piloto e a equipe e chegou à conclusão que o problema ocorreu porque a Ferrari não alterou a configuração do DRS do treino (quando o sistema é liberado sem depender de diferença para o carro da frente) para a corrida. Com isso, decidiu apenas aplicar uma multa de 15 mil euros (cerca de R$ 45 mil) à escuderia de Maranello, não influenciando no resultado final da corrida, vencida por Lewis Hamilton.

Leia também:  Reway estará em jogo das eliminatórias da Copa do Mundo

– O ajuste do sistema de ativação do DRS não foi modificado pelo time da pré-corrida para a corrida. Com isso, o piloto, incorretamente, recebia o aviso de “DRS liberado” e reagiu a eles, quando não estava intitulado a fazer, em três ocasiões. Assim que o time percebeu o problema, informou ao piloto para só usar o DRS quando fosse avisado pelo rádio. Apesar de uma pequena vantagem esportiva (menos de um segundo durante toda a corrida) ter sido ganha, o time argumentou que o carro três também sofreu uma desvantagem, por ser incapaz de usar o DRS em toda ocasião legítima. Entretanto, a equipe e a última instância responsável por garantir que o sistema funcione conforme o regulamento – dizia o comunicado emitido pela FIA.
Com a quinta posição na prova, Alonso acabou perdendo a vice-liderança do campeonato para Kimi Raikkonen. O finlandês da Lotus chegou em segundo em Hungaroring e agora soma 134 pontos, um a mais que o espanhol. A liderança do campeonato segue com Sebastian Vettel. O alemão da RBR fechou o pódio, e chegou aos 172 pontos (confira a classificação completa). Após dez das 19 etapas disputadas, a Fórmula 1 agora entra nas tradicionais férias de meio de ano e só volta daqui a um mês, com o GP da Bélgica, de 23 a 25 de agosto.

Leia também:  União vence e assume liderança da Copa FMF
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.