O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) aprovou o desligamento de 34 térmicas a diesel e a óleo, as mais caras do sistema. A decisão foi anunciada pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, em coletiva de imprensa. As termelétricas foram desligadas no dia seguinte. A medida, segundo o ministro, vai representar uma economia mensal de R$ 1,4 bilhão.

“As chuvas vieram na medida das nossas expectativas, por isso tomamos a decisão de desligá-las. Os reservatórios estão cheios, com exceção do Nordeste, onde estamos com uma dificuldade pequena.”, afirmou Lobão.

As 34 térmicas que serão desligadas têm capacidade de gerar 3,8 mil MW de energia. Com essa decisão, já foram desativadas 39 termelétricas.

Leia também:  INSS convoca assegurados para reavaliação de benefícios, confira a lista

Na reunião de maio, o Comitê desligou as quatro primeiras térmicas: Pau Ferro (94 MW) e Termomanaus (143 MW), em Pernambuco; Xavante (54 MW), em Goiás; e Potiguar I(43 MW), no Rio Grande do Norte. No mês passado foi decidido desligar mais uma: UTE Potuguar III. As térmicas estão ativadas desde outubro do ano passado. “A ideia era manter as térmicas ligadas pelo tempo necessário e julgamos que essas térmicas não são mais necessárias. Ou seja, estamos retirando as térmicas mais caras do sistema”, declarou o ministro.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.