Presidente da ACIR, Luiz Fernando Homem de Carvalho – Foto: Ricardo

Presidente da ACIR, Luiz Fernando Homem de Carvalho – Foto: Ricardo

“Domingo não, atrás de um balcão também bate um coração” esta é a campanha organizada pelo Sindicato dos Empregados no Comércio de Rondonópolis que gera questionamento por parte dos representantes da Associação Comercial, Empresarial e Industrial de Rondonópolis (ACIR) e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

O presidente do Sindicato dos Empregados, Lucas Gonçalves, defende que o trabalho nos domingos traz prejuízo ao trabalhador que é privado do convívio familiar no único dia em que poderia estar com os entres queridos e afirma que as pessoas que compram nos domingos são coniventes com esse desrespeito a família.

Leia também:  Gerente de Relações do Governo do BNDES estará na CDL

Para o presidente da ACIR, Luiz Fernando Homem de Carvalho, a lei existe para ser cumprida então não entende o motivo da campanha que trará prejuízo ao município, pois comprometerá o desenvolvimento da cidade.

Luiz

Presidente da CDL - Foto:  Arquivo AGORA MT
Presidente da CDL – Foto: Arquivo AGORA MT

Fernando observou que por lei as pessoas não trabalham todos os dias da semana e são remunerados ou têm folga por trabalhar no domingo. Além do fato que as empresas geralmente não têm expediente com 100% dos funcionários. E observou também que existe um entendimento entre os sindicatos patronal e laboral que prevê o trabalho aos domingos.

O representante da ACIR observou que se todas as pessoas trabalhassem no mesmo horário, em que momento poderão fazer compras? E se precisar colocar combustível no domingo? Se cidades menores abrem o comércio nos domingo, por que Rondonópolis ficaria fechada?

Leia também:  Brinquedos e roupas estão em alta na lista de presentes para o Dia das Crianças

A presidente da CDL, Eliane Queiroga, compartilha do mesmo entendimento do presidente da ACIR e acrescentou que muitas empresas vêm para Rondonópolis devido essa possibilidade de trabalhar aos domingos e algumas até com o funcionamento de 24h por dia.

Queiroga argumentou também que as pessoas quando procuram uma empresa para trabalhar tem consciência que a empresa funciona aos domingos, o que gera um maior questionamento sobre a campanha.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.