A torcida do Corinthians vem reclamando de algumas contratações recentes da equipe, como os volantes Ibson e Maldonado, que chegaram para o segundo semestre de 2013 e pouco renderam até aqui. Até mesmo o atacante Alexandre Pato, principal contratação do Timão para a temporada, entrou na mira da Fiel. A diretoria alvinegra não quer saber de culpa sobre ela em relação aos reforços e assegura: só executa o que lhe é requisitado.

A suposta “mudança de perfil” do Corinthians em relação à equipe que conquistou a Taça Libertadores da América e o Mundial de Clubes no ano passado irritou os torcedores. Ao contrário do elenco sem estrelas e “medalhões” de 2012, o Timão investiu R$ 40 milhões para tirar Pato do Milan, da Itália, e apostou em atletas experientes, mas de passagens pouco marcantes por outros clubes brasileiros.

Leia também:  Brasil e Costa Rica fazem amistosos em Campo Verde e Cuiabá

– O papel da diretoria é trazer o jogador. Se vai jogar ou não, é com o treinador. Nós trazemos as necessidades que o elenco tem. Não sou eu que escalo o time – argumentou Roberto de Andrade.

Ibson, por exemplo, foi uma indicação pessoal de Tite. Fã do futebol do jogador, o técnico pediu à diretoria que tentasse contratá-lo do Flamengo, onde o atleta vinha enfrentando conflitos financeiros. Escalado como titular no lugar de Guilherme, que sofreu grave lesão no tendão da coxa esquerda e ficará fora até o fim de outubro, o volante não manteve o nível do companheiro na equipe e virou “última opção”.

Já Maldonado viveu situação distinta. O jogador de 33 anos foi acolhido pela estrutura do CT Joaquim Grava para se recuperar de uma cirurgia no joelho esquerdo. O chileno chegou a trabalhar com o elenco sub-20 do Corinthians, mas não havia expectativa de que ele fosse contratado. Após a total recuperação, a diretoria acertou com ele para ser suplente de Ralf como primeiro volante, posição carente no elenco.

Leia também:  Projeto Mais Esporte, Mais Cidadania é lançado oficialmente em Rondonópolis

A diretoria nega que o Corinthians esteja em crise, apesar dos cinco jogos sem vitória e das três derrotas consecutivas. Questionado sobre como poderia classificar o desempenho do Timão no segundo semestre, tendo em vista as cifras milionárias do elenco, o diretor de futebol Roberto de Andrade deixou claro que o planejamento não previa uma instabilidade tão grande.

– Não chega a ser frustrante, mas confortável não é – resumiu.

Há a possibilidade de o elenco sofrer alterações ainda neste ano. A diretoria admitiu que está em busca de jogadores, principalmente para suprir a ausência de Guilherme e Renato Augusto, atletas que se recuperam de cirurgia e não tem previsão certa de retorno, embora o departamento médico faça estimativas.

Leia também:  Cuiabá e Luverdense empatam no 1° jogo da final do sub-17 e decisão acontece na quinta
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.