Um dos coordenadores da campanha de Dilma Rousseff à reeleição, o presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Rui Falcão, afirmou que “o pior já passou” e que a “tendêndia” da pré-candidata petista na corrida pelo Palácio do Planalto é de recuperação”. Ele disse acreditar que ainda há a “possibilidade” de vitória da presidente no primeiro turno das eleições de outubro.

Nesta sexta, o jornal “Folha de S.Paulo” divulgou pesquisa eleitoral, realizada pelo instituto Datafolha, que aponta que a chefe do Executivo passou de 38% para 37% das intenções de voto na disputa presidencial. Neste cenário, o pré-candidato do PSDB, senador Aécio Neves (MG), subiu de 16% para 20%, e o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, pré-candidato do PSB, oscilou de 10% para 11% das intenções de voto.

Leia também:  Pátio muda estilo e "dizima" oposição na Câmara

Eu não acredito em tendência de queda [de Dilma nas pesquisas eleitorais]. Pelo contrário, com toda a dificuldade que ela enfrentou, o pior já passou e a tendência é de recuperação e estabilidade” Rui Falcão, presidente do PT Apesar de Dilma ter perdido sete pontos percentuais nas últimas duas pesquisas do Datafolha (em fevereiro, a presidente tinha 44% e, em abril, passou para 38%), Rui Falcão disse não acreditar em “tendência de queda” da pré-candidata do PT. Segundo o dirigente petista, todas os estudos eleitorais mostram o PT, Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como “vitoriosos” na corrida presidencial.

“Eu não acredito em tendência de queda [de Dilma nas pesquisas eleitorais]. Pelo contrário, com toda a dificuldade que ela enfrentou, o pior já passou e a tendência é de recuperação e estabilidade. Todas as pesquisas mostram o PT, ela e o Lula como vitoriosos”, opinou Falcão.

Leia também:  Bolsonaro passa Lula e lidera pesquisas para presidência de 2018

O presidente do PT ressaltou que Dilma enfrentou recentemente situações desgastantes politicamente, como “o pico da inflação” dos alimentos. Na visão de Falcão, o levantamento do Datafolha mostrou que “melhorou” a expectativa da população em relação à inflação de 2014.

Ele também considera “ponto positivo” da pesquisa o fato de Dilma ter “superado” indicadores que poderiam “contaminar” a campanha à reeleição. Falcão, no entanto, não especificou quais são os indicadores a que estava se referindo.

Dilma tem 37%, Aécio, 20%, e Campos, 11%, diz Datafolha
Propaganda na TV irá modificar cenário eleitoral, avalia Campos
Aécio Neves diz que pesquisa mostra vontade de mudança do brasileiro

Efeito Lula

Rui Falcão disse acreditar que quando a campanha eleitoral tiver início oficialmente, e Dilma puder se apresentar como a candidata do PT à reeleição, os votos apontados pelas pesquisas para Lula serão transferidos para a presidente da República. Na avaliação dele, a “somatória” dos votos de Dilma com os do ex-presidente vai dar “grande vantagem” à legenda.
“Não se pode ignorar que a pesquisa [Datafolha] mostra o Lula separado dela [Dilma]. Então, sempre a somatória deles nos dará uma grande vantagem. Não se pode fazer o percentual de um contra o do outro, mas claro que a transferência [dos votos] do Lula para ela é muito grande”, destacou Falcão.

Leia também:  Depois de 60 dias de promessa, INSS continua sem peritos

“Lula e Dilma são uma coisa só, representando o PT e seus aliados. Isso vai ficar muito nítido quando ela se tornar a candidata e quando a campanha efetivamente começar”, complementou.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.