O atual prefeito Percival Muniz (PPS) será investigado pelo Tribunal Regional Federal (TRF) por suspeita de ser um dos beneficiados pelo grande esquema de lavagem de dinheiro desmontado na Operação Ararath. Na época do suposto pagamento, Muniz era deputado estadual.

Segundo o inquérito policial, o empresário e delator Gércio Marcelino Mendonça Júnior, teria dito em depoimento que o ex-secretário de estado Éder Moraes, pediu emprestado R$150 mil para ser entregue a Percival. Uma lista com a descrição do valor foi encontrada na casa do pai do delator pela Polícia Federal.

Na lista está relacionado que o atual prefeito teria recebido o montante de R$1,550 milhão das mãos de Éder e que o valor seria para a ‘manutenção do sistema’. A Polícia Federal suspeita que o restante da quantia a ser paga para Muniz tenha sido complementada por outros empresários que também eram operadores do sistema.

Leia também:  Obras de esgoto beneficiarão 1.600 famílias no Jd. Atlântico e Europa

LEIA TAMBÉM:

Ararath: Blairo, Fabris e Percival aparecem em lista de créditos ilegais de Eder Moraes

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.