O presidente russo, Vladimir Putin, declarou ontem (3) que, para garantir um cessar-fogo no Leste da Ucrânia, o governo ucraniano deve retirar as suas tropas das proximidades das cidades e os combatentes pró-russos devem encerrar a contraofensiva iniciada há mais de uma semana.

“Em primeiro lugar, os grupos armados das milícias devem pôr fim à ofensiva nas frentes de Donetsk e Lugansk. E, em segundo, as forças da Ucrânia [devem] retirar as suas unidades de maneira que fiquem a uma distância das cidades que exclua a possibilidade de fogo com artilharia”, destacou Putin.

Durante visita à Mongólia, o líder do Kremlin apresentou um plano de sete pontos que, na sua opinião, deve ser acordado entre as duas partes para acabar com o derramamento de sangue no Leste da Ucrânia, informou a agência russa Interfax.

Leia também:  Americanos estarão proibidos de viajar para Coréia do Norte a partir de agosto

Putin disse ainda que espera que um “acordo final” entre o governo ucraniano e os separatistas pró-russos seja alcançado até sexta-feira ( 5), considerando que o seu ponto de vista e o do ucraniano, Petro Poroshenko, sobre a resolução da crise são “muito próximos”.

“Penso que um acordo final entre as autoridades ucranianas e o Sudeste da Ucrânia poderá ser alcançado e firmado no dia 5 de setembro, durante uma reunião do grupo de contato” sobre a resolução do conflito, sustentou Putin.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.