Candidato pela coligação Viva Mato Grosso, José Riva (PSD) descarta plano B caso o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mantenha a decisão do TRE/MT e negar o registro de sua candidatura. “Quando você entra num projeto ou você acredita ou você não acredita. Se não acredita é melhor nem entrar. Se você precisa de um plano B então vai logo para esse plano e o torne A. Não tenho plano B ou plano L, o que tem é a expectativa do registro da nossa candidatura”.

Ele garante que lançar a esposa Janete Riva (PSD) em seu lugar ou mesmo agregar toda a estrutura de campanha montada para aderir a candidatura de Lúdio Cabral (PT) não estão em questão.

Leia também:  Vereadores recebem servidores do Estado para definirem detalhes sobre o evento

Riva acredita que nesta semana o TSE pode dar o aval sobre a situação da sua candidatura. Ele aguarda um julgamento favorável, sustentando que as quatro condenações pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) por improbidade administrativa não tinha requisitos de inegibilidade. “Para ter um julgamento diferente, o TSE teria que mudar todo um entendimento que já tinha. A nossa sensação é de otimismo”.

Diante da incerteza do deferimento do registro de candidatura, ele não tem buscado doações para a sua campanha e tem desenvolvido a campanha com o mínimo de recursos. Conforme a segunda prestação parcial de contas, ele arrecadou R$ 572,7 mil em receitas.

“É uma campanha de manutenção até agora. Não fui atrás de doadores, apenas cataloguei possíveis doadores e depois de registrado vou procurá-los. Mas é bom para que a sociedade veja quem estão com os milionários e com certeza vão querer muito em troca”.

Leia também:  Projeto prevê que cidadãos acompanhem vagas nas escolas municipais de Rondonópolis
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.