dor intestinal1. Dor

O que pode ser
O desconforto abdominal tem diversas causas e níveis de gravidade. Pontadas súbitas podem revelar apendicite ou o rompimento de um cisto no ovário. Já um incômodo na parte superior da barriga geralmente está associado a azia ou má digestão – culpa daquele hambúrguer na volta da balada.

Como acabar com o problema
“Para evitar esses sintomas, não fique muito tempo em jejum nem exagere nas bebidas alcoólicas, mastigue bem, passe longe do cigarro e diminua a ingestão de alimentos ácidos e de comida industrializada”, diz o médico gastroenterologista Pedro Luiz Bertevello, do Hospital Beneficência Portuguesa, em São Paulo. O mal-estar já se instalou? Ponha em prática o velho conselho da sua avó: tome um chá. “O de alecrim e hortelã é calmante e digestivo”, diz o gastrocirurgião Eduardo Grecco, do Hospital Leforte, em São Paulo. “Melhor ainda se for tomado meia hora antes das refeições principais.”

2. Inchaço

O que pode ser
Se o inchaço acontece com frequência, ele pode estar ligado a intolerância alimentar ou síndrome do intestino irritável (sensibilidade que provoca dor, distensão do abdômen, amolecimento das fezes e, em alguns casos, prisão de ventre). Com orientação de um especialista, corte alguns tipos de alimento até identificar qual dispara o sintoma – laticínios e glúten são as principais apostas.

Como acabar com o problema
Para evitar o efeito estufa, evite alimentos como feijão, os ricos em açúcar e sal, bebidas alcoólicas e comidas muito gordurosas. Rolou um descontrole à mesa (sim, é duro resistir ao rodízio de pizza)? Tome um chá digestivo, como o de boldo, ou um medicamento receitado pelo seu médico para aliviar a sensação de estômago cheio.

Leia também:  Saúde | Saiba quais os cuidados que devemos ter com o tempo seco

gases intestinais3. Gases

O que pode ser
Eles se formam a partir da fermentação de restos de comida no intestino e do ar que engolimos ao mastigar. Por isso, comer muito rápido ou de boca aberta (não é só falta de etiqueta!) pega mal. Aquele seu jeans skinny ou a meia-calça também têm culpa no cartório – roupas apertadas dificultam o trânsito intestinal, provocando aumento dos gases.

Como acabar com o problema
“Alimentos ricos em fibras e carboidratos, no geral, provocam mais flatulência e, por isso, devem ser evitados antes de situações em que você possa ficar constrangida”, diz o gastroenterologista Jaime Zaladek Gil, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Seu desconforto é muito intenso? Procure um médico. Um medicamento pode resolver. Mas, se for pontual, faça uma massagem leve no abdômen por alguns minutos.

4. Constipação

O que pode ser
Uma das causas é o baixo consumo de alimentos que ajudam o intestino a funcionar. Além disso, durante uma viagem, por exemplo, o órgão costuma ficar mais preguiçoso “por causa da alimentação diferente, receio de usar o vaso sanitário do hotel ou vergonha porque está dividindo o banheiro com outras pessoas”, diz o nutrólogo Celso Cukier, do Albert Einstein. Ficar muito tempo sem evacuar (ou segurar a vontade por causa do nojinho do banheiro do trabalho) tende a deixar as fezes mais volumosas e ressecadas e, em consequência, dificultar sua saída.

Leia também:  Como reconhecer os 7 sintomas de esgotamento nervoso

Como acabar com o problema
Qualquer coisa entre três vezes ao dia e três vezes por semana é normal quando o assunto é o número 2. Quem vai apenas uma ou duas vezes ao banheiro nesse período deve aumentar a ingestão de fibras, presentes em alimentos como frutas, verduras, legumes e grãos integrais, e, importante, de água. Eles ajudam a aumentar o bolo fecal e a estimular o trânsito intestinal. Travou? Nada de tomar laxante por conta própria. A longo prazo, sua ingestão vai piorar o quadro.

diarreia5. Diarreia

O que pode ser
Pode ter a ver com a falta de férias. Ou com sua lista sem fim de tarefas. Não à toa, o intestino vem sendo chamado de segundo cérebro: quando o stress ataca seu corpo e sua mente (e inunda seu organismo de hormônios como adrenalina e cortisol), o órgão é um dos primeiros a dar sinal de que algo está errado – na inconveniente forma de fezes líquidas. Mas a diarreia também pode ser provocada por intolerância a algum alimento, inflamações, infecções no intestino ou, de novo, problemas como a síndrome do intestino irritável.

Leia também:  Existe posição sexual ideal para quem quer engravidar?

Como acabar com o problema
Durante a crise, beba muito líquido (como água de coco e isotônico) para não desidratar o organismo e corte do cardápio alimentos gordurosos, ácidos, temperados e ricos em fibras até que as fezes voltem ao normal. “Além disso, faça refeições pequenas ao longo do dia e coma alimentos que tenham potássio (banana e batata sem pele, por exemplo), pois a diarreia leva à perda desse mineral”, diz Grecco.

6. Barulhos estranhos

O que pode ser
O caminho do alimento da boca até o ânus e todas as modificações que ele sofre no trajeto geram mesmo alguns ruídos. Normalmente eles não são notados, mas podem ficar mais intensos se alguma parte do processo não estiver ok ou se você tiver ingerido alimentos que fermentam muito, como o repolho e o feijão, bebidas com gás ou tenha engolido muito ar ao mastigar ou mascar chiclete.

Como acabar com o problema
Não tem jeito: se isso costuma acontecer com você, é hora de procurar um médico. “Quando os barulhos altos acontecem com frequência, é um sinal de que há algum problema que pode estar provocando dificuldade na movimentação do bolo alimentar ou mesmo uma obstrução intestinal”, alerta Jaime Zaladek Gil.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.