A Federação Internacional de Atletismo vive um momento conturbado neste fim de ano. Após a polêmica gerada por denúncias de corrupção e doping de atletas da Rússia, dois funcionários da entidade pediram demissão de seus cargos. Um deles, inclusive, é Massata Papa Diack, filho do presidente Lamine Diack.

A denúncia feita pela televisão alemã ”ARD” acusava funcionários da IAAF de saberem e encobrirem o doping sistemático. Além de Papa Diack, que é consultor de marketing do corpo diretor, o tesoureiro Valentin Balakhnichev também deixou o cargo.

De acordo com a rede britânica ”BBC”, a IAAF afirma que Massata Papa Diack confirmou o fim de suas atividades até que o comitê de ética da organização tenha concluído as investigações. Balakhnichev, que também chefia a federação russa de atletismo, alega que as acusações são mentirosas.

Leia também:  Com a demissão de Ceni, São Paulo vai completar 16 técnicos em 8 anos

Nesta quinta-feira, a imprensa internacional havia publicado outra denúncia contra Papa Diack, que envolvia o fato de ter recebido US$ 5 milhões (cerca de R$ 13 milhões) para ajudar durante a candidatura de Doha para o Mundial de 2017. Na ocasião, o Catar perdeu a chance para Londres. No entanto, este ano, eles foram eleitos para sediar a edição de 2019.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.