Um policial militar foi condenado ontem (3) a pena de 20 anos e três meses de prisão, em regime fechado, e a pena acessória de perda de função na polícia. Fernando Augusto Gomes Bezerra Júnior, 32 anos, é acusado de ter matado a esposa Maria das Graças Araújo da Silva, 27 anos e o primo Gregório Perez Bezerra, 25 anos, em Cuiabá. O acusado foi condenado por duplo homicídio qualificado.

O júri popular começou às 8h no Fórum de Cuiabá sob a responsabilidade da juíza Mônica Catarina Perri Siqueira e durou cerca de 10 horas. No período da manhã foram ouvidas as testemunhas de acusação, de defesa e o réu.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), o crime ocorreu no dia 28 de março de 2012, na casa do PM, no centro de Cuiabá. Fernando atirou contra a mulher e acertou três disparos, à queima roupa, na altura do pulmão e do coração. O primo também foi morto a queima roupa com cinco a seis disparos, na altura do coração, pulmão e abdômen. O policial alegou que teria cometido o crime após ter flagrado o primo e a mulher, apenas com roupas íntimas, trocando carícias no sofá da sala de casa.

Leia também:  Vítimas são amarradas em cadeiras durante assalto em chácara

Em seguida, o acusado fugiu de casa com a filha de três anos, mas após dois dias foragidos se entregou a Polícia Civil.

Na denúncia consta que o casal brigava com frequência e que a mulher era agredida verbalmente e fisicamente pelo marido. Aponta também que no dia do crime, os envolvidos teriam ingerido uma quantidade grande de bebida alcoólica.

Os advogados de Fernando argumentaram que o homicídio duplo não poderia ser enquadrado como crime qualificado. Alegaram que as ações de Fernando foram motivadas pelas fortes emoções, porém o Tribunal de Justiça de Mato Grosso negou os pedidos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.