Sebastian Vettel não quer mais ser conhecido pela variedade de desenhos em seus capacetes. O alemão de 27 anos decidiu que vai aproveitar sua transferência para a Ferrari para adotar uma identidade única para toda a temporada, ao contrário dos visuais temáticos e diferentes dos anos anteriores. E o design do novo casco, que apareceu pela primeira vez nos testes da pré-temporada, em Jerez de la Frontera, na semana passada, é também uma homenagem ao grande ídolo Michael Schumacher, figura importante de sua carreira e ícone máximo da escuderia italiana, de acordo com reportagem do jornal italiano “La Gazzetta dello Sport”.

O novo desenho surpreendeu os fãs pela simplicidade. O casco é predominantemente branco, com listras em vermelho, preto e amarelo, em alusão à bandeira da Alemanha, terra de Vettel e Schumacher. O visual bolado pelo designer Jens Munser, o mesmo que desenhou os últimos capacetes de Schumi na Fórmula 1, parece mesmo ser inspirado no que o heptacampeão mundial utilizou nos Mundiais de Kart em 1985. A história, contudo, pode ser apenas uma “feliz coincidência”. É o que defende o estafe de Vettel.

Leia também:  Rodada "madrasta" coloca Luve de volta ao Z-4

Segundo a turma que trabalha com o tetracampeão, o design do capacete que ele adotou em Jerez não foi inspirado na pintura usada por Schumacher nos tempos do kart. O branco foi aprovado, e eles teriam, simplesmente, adicionado as cores da bandeira da Alemanha

Sensação da Fórmula 1 nos quatro anos em que conquistou o título com a RBR, Vettel sempre fez questão de apontar Schumi como uma de suas principais fontes de inspiração na Fórmula 1. O primeiro encontro com o ídolo aconteceu no longínquo ano de 1994. Na ocasião, o ex-piloto havia acabado de conquistar seu primeiro título mundial e foi encarregado de entregar o troféu ao vencedor do campeonato de kart da Renânia do Norte-Vestfália, Sebastian Vettel, então um garotinho de apenas sete anos.

Leia também:  União precisa vencer para ficar com título do sub-19

De mentor a fã, Schumacher sempre demonstrou orgulho pelo sucesso precoce de Vettel na Fórmula 1. E o convívio dos dois nas pistas não se limitou às três temporadas da segunda passagem do heptacampeão pela categoria, pela Mercedes. Os alemães formaram a dupla mais vencedora da história da Corrida dos Campeões, colocando a Alemanha na liderança da Copa das Nações em seis edições. Após o grave acidente de esqui que deixou o ex-piloto em coma, Vettel divulgou diversas mensagens de apoio e admiração ao ídolo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.