Autoridades federais e fluminenses oficializaram a criação de uma comissão de segurança para os Jogos Olímpicos de 2016. Anunciaram de pronto o investimento de ao menos R$ 350 milhões para a proteção do evento, que começa daqui um ano e meio.

O montante foi revelado pelo secretário especial de Segurança de Grandes Eventos, do Andrei Passos Rodrigues. Segundo ele, o valor será investido pelo Ministério da Justiça na compra de softwares, equipamentos de vigilância e treinamento de agentes.

Passos participou nesta tarde de uma entrevista coletiva sobre a criação da comissão de segurança da Olimpíada. Afirmou que o plano de proteção da Copa do Mundo de 2014 será base da atuação dos agentes nos Jogos de 2016.

Leia também:  Alto Araguaia será representada por quatro tenistas na Copa das Federações em MG

Ainda segundo Passos, uma atenção especial contra o terrorismo será empregada nos na Rio-2016 também por causa dos atentados ocorridos na França. “Estamos ampliando nosso contato com agências antiterrorismo dos Estados Unidos, Alemanha e da própria França”, disse o secretário. “Há uma cooperação internacional nessa área.”

O secretário da Sesge (Secretaria Especial de Segurança de Grandes Eventos) afirmou que existe cooperação também de mais de 30 instituições nacionais para a segurança da Olimpíada. Dentre essas instituições, a Secretaria Estadual de Segurança do Rio de Janeiro terá papel fundamental até porque o evento será no Rio.

O secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, ratificou essa importância e disse que esquemas de policiamento especiais para a época dos Jogos e também dos eventos-teste serão montados. A Barra da Tijuca, região da capital fluminense que concentrará a maior parte dos eventos olímpicos, receberá prioridade nas ações.

Leia também:  Luverdense perde do Inter com gol polêmico no final
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.